Google News - Top Stories

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Os Ímãs Permanentes e os Motores Puramente Magnéticos (Parte 2/2)



Se você deseja obter uma melhor contextualização básica sobre a história e a física do magnetismo, seus parâmetros e sobre os ímãs permanentes e outros materiais magnéticos, aprecie, primeiro, a Parte 1 deste tópico.

Motores Puramente Magnéticos:


A capacidade aparentemente misteriosa de ímãs em influenciar o movimento à distância, sem qualquer fonte de energia aparente, há muito tem apelado para a imaginação dos inventores. Um dos primeiros exemplos de motor magnético foi proposto pelo bispo John Wilkins (1614-1672) e tem sido amplamente copiado desde então. Ele consiste em uma rampa com um ímã no topo, que atrairia uma bola de metal inicialmente parada ao pé da rampa, por sobre a rampa. Perto do ímã havia um pequeno orifício que era para permitir que a bola, ao subir, caísse através dele, sob a rampa e voltasse ao fundo, onde uma abertura permitiria que ela voltasse para o início de novo.

O dispositivo simplesmente não pôde funcionar pois, qualquer ímã forte o suficiente para puxar a bola rampa acima, era também necessariamente muito forte para não permitir que ela caísse no buraco acima. Confrontado com este problema, as versões mais modernas normalmente usam uma série de rampas e ímãs, posicionados de modo a bola está para ser entregue a partir de um ímã para outro enquanto ele se move. O problema continua a ser a mesmo, ainda sem solução.

Todavia, há um poder natural em ímãs, seu magnetismo natural, que, basicamente, pode ter um tremendo poder se aplicado de uma maneira que aproveita o torque produzido em uma geometria circular livre para girar.

É fato que, pela eventual ação de uma força externa, um magneto for colocado no interior de um campo magnético externo, o seu próprio campo magnético irá rapidamente interagir com o campo magnético externo no qual ele foi inserido. Tal interação provocará deformações em ambos os campos, as quais resultam em dois casos:
  • com ganho no fluxo magnético original de ambas as fontes de magnetismo;
  • com perda no fluxo magnético original de ambas as fontes e magnetismo.
Em ambos os casos, os corpos de ambas as fontes de energia magnética passam a sofrer um torque mútuo.

O torque N em um magneto é proporcional ao campo B aplicado e ao momento magnético m do magneto:


onde × representa um produto vetorial.


Esta é uma quantidade vetorial, sendo a sua direção em qualquer ponto do campo magnético a direção do campo vetorial naquele ponto.


Campo vetorial de força magnética de um magneto esférico em 3D
Um campo vetorial é uma atribuição de um vetor para cada ponto em um subconjunto do espaço euclidiano (uma seta que atribui ao ponto do espaço, uma força com intensidade, direção e sentido). Um campo de vetores no plano, por exemplo, pode ser visualizada como uma série de setas com uma dada magnitude e direção cada um ligado a um ponto no plano. Campos de vetores são muitas vezes utilizados para modelar, não apenas os campos de força magnética, mas também, por exemplo, a velocidade e a direção de um fluido em movimento no  espaço, ou uma força direcional qualquer, como a força gravitacional, a medida em que ela muda de ponto a ponto.

O torque sobre um magneto, devido a interação um campo magnético externo é fácil de ser observado empiricamente: basta colocar dois magnetos próximos, e soltar um deles, permitindo que ele se mova.

Dependendo do posicionamento relativo inicial do magneto dentro do campo magnético externo no qual ele é inserido, o torque poderá ser de dois tipos:
  • de atração;
  • de repulsão.
Se após ser inserido no campo magnético impróprio o corpo do magneto estiver livre para se mover e, se a magnitude do torque for suficiente para demover a massa do seu corpo da inércia, ele, de fato, se porá em movimento.

No caso de torque de atração, os vetores de resultantes tenderão a provocar um deslocamento do magneto livre no sentido de aproximação em relação a fonte do campo externo, de modo a fazer com que ambos os campos se alinhem, se somando ao máximo que for possível, formando, por fim, um único campo e passando a agir como um único magneto. Durante este deslocamento a intensidade do torque irá aumentando, e quando o deslocamento termina o torque atinge seu valor máximo.

Já, no caso de repulsão, o deslocamento do magneto livre se dará num sentido que faça com que a interação entre os campos se anule, portanto, será um deslocamento de afastamento, e o torque diminuirá enquanto o magneto livre se desloca, até se tornar também nulo, ou insuficiente frente a massa do corpo do magneto para dar continuidade ao deslocamento.

No entanto, desde agora, eu quero esclarecer que eu venho a pensar que todos esses motores magnéticos apresentados, apesar de serem realmente capazes de girar, eles não são capazes de produzir torque considerável, quando leva-se em conta o tamanho e o custo da máquina.

Portanto, eles são uma farsa, no sentido de que eles não se aplicam a geradores de energia a partir de, puramente, a energia de seus magnetos, enquanto que, como motores, elas só podem ser aplicados ao acionamento de pequena cargas, que possuam baixo conjugado de partida  (ex. ventiladores e exaustores), sendo, ainda, a velocidade de operação, altamente dependente do conjugado resistente.

Um motor puramente magnético é um dispositivo teórico capaz de converter continuamente a força do campo magnético em energia mecânica, criando um torque. Teoricamente a energia mecânica pode ser desenvolvida a partir das forças de repulsão entre um ímã permanente móvel e um ímã permanente fixo.

Muitos inventores tem construído protótipos de vários tipos de motores de ímã permanentes ao longo da história, principalmente nos últimos anos. Howard Johnson recebeu três patentes nos EUA em motores magnéticos (em 1979, 1989 e 1995), mas até 2012, não houve reconhecimento de nenhuma tentativa bem sucedida de replicar o motor magnético Johnson.

Algumas propostas contemplam máquinas puramente magnéticas, enquanto outras, tendo incorporado tanto ímãs permanentes e quanto eletroímãs. Os eletroímãs podem ser uteis nos motores magnéticos, principalmente, para provocar modificações no campo magnético estático provido pelo estator, como método para dar a partida automática na operação desse dispositivo, tirando-o da inercia de um sistema magnético balanceado, onde os campos magnéticos estáticos não podem transferir energia.

O fascínio que há com estes tipos motores reside no seu potencial para a produção de "energia livre", seja mecânica (motor) ou elétrica (com um gerador acoplado).

Recentemente outro inventor da Argentina publicou um vídeo de um motor puramente magnético com um gerador acoplado. O protótipo é chamado de "Torian III."

O protótipo possui três estatores circulares estacionários, que formam um conjunto que é interligado por duas hastes laterais. Cada estator tem ímãs possui ímãs permanentes embutido em sua circunferência, aparentemente distribuídos de uma forma não simétrica.

Possui também um rotor de três estágios instalados sobre um eixo comum, que está livre para girar e que se encaixa dentro de cada um dos estatores circulares quando o dispositivo é iniciado. Cada rotor apresenta 15 magnetos embutidos em sua periferia.

O dispositivo é iniciado girando-se manualmente qualquer um dos estágios do rotor (para prover o impulso inicial) e em seguida puxando-se, também manualmente, o conjunto estator para que cada um deles venha a ficar sobre o seu respectivo estagio do rotor.

Aparentemente, esta partida manual é suficiente para iniciar o dispositivo, que, então, um movimento giratório se estabeleça e se sustentar, mesmo com o estagio gerador produzindo uma pequena quantidade de energia, suficiente para fazer acender um conjunto de LEDs.

Perto do final do vídeo, ele levanta-se o dispositivo, mesmo em operação, para fora da mesa e mostra que não existem fios ocultos anexados.

Motor Magnético Argentino TORIAN 3 Parte 1/ 2:




Motor Magnético Argentino TORIAN 3 Parte 2/ 2:



Muitos pesquisadores sérios acreditam que não exista uma geometria que possa tornar isso possível. Outros, entre os quais eu me incluo, acreditam que apesar da máquina poder girar ela não ofereceria um torque  suficiente para ser rentável. Não há, até o presente momento, conhecimento de que motores puramente magnéticos para aplicações de geração de energia elétrica já sejam comercializados em qualquer parte do mundo.

Uma máquina semelhante a Torian III parece ser um dispositivo muito interessante e, se funcionar, sobre ele, uma série de ensaios podem (e precisam) ser realizados, para verificar, entre outras coisas, por exemplo, a auto regulação de velocidade, a capacidade de torque, a eventual possibilidade de operação em dois e em quatro quadrantes, etc, além de estudos baseados em sucessivas modificações da geometria magnética (ângulos de inclinação das cavidades (ver o desenho da geometria sugerida mais adiante), número total de cavidades, de magnetos, etc), sempre seguido de ensaios bem realizados, com torque e velocidade mensurados, tarefas que que poderiam ajudar a descrever uma teoria consistente do seu funcionamento, além de permitir encontrar uma configuração ótima de arquitetura.


Réplica do Motor Torian III:




Testes e Ensaios:


Ensaios para verificação da capacidade de torque e de auto-regulação de velocidade são fundamentais, também, para que se possa avaliar, comparativamente, as reais possibilidades de emprego competitivo dessas máquinas. Estes ensaios podem ser realizados com o emprego de um freio eletromagnético a base de material magnético em pó (freio de partículas magnéticas) acoplado ao eixo da máquina. Neste caso, a ideia é que o freio realize a função uma carga variável para o motor, permitindo o ajuste do Conjugado Resistente oferecido a ele, por se variar, proporcionalmente a tensão C.C. aplicada à bobina do freio.


Freios de partículas magnéticas são únicos no seu projeto em relação a outros tipos de freios eletro-mecânicos por causa da sua ampla faixa de torque operacional disponível e por isso são ideais para ensaios. Tal qual um freio de eletromecânica, a relação Torque x Corrente é quase linear, evitando a obrigatoriedade de se ter que medir diretamente o torque em ensaios.

Além disso, o torque é independente da velocidade do rotor dentro da faixa de operação recomendada, que, em geral, situa-se entre 40 e 2000 rpm para a maioria dos freios de partículas magnéticas comercialmente disponíveis.

Em um freio de partículas magnéticas, o torque pode, ainda, ser controlado, comparativamente, com muita precisão (dentro da faixa de rotação operacional do freio) e, também, responder muito mais rapidamente à variação do ponto de ajuste, operando, em geral, com tensão de 0 ~ 24 Vcc e corrente de 0 ~ 1 Ampère.

O freio eletromagnético de partículas é composto por três componentes principais: uma bobina, um estator e um rotor (e, obviamente, o pó magnético).

As partículas magnéticas (muito similar a limalhas de ferro finas) estão, inicialmente, desmagnetizadas e sob efeito da força da gravidade, depositadas no interior da cavidade entreferro. O material do pó é, geralmente, uma liga de Fe, Ni, Mn e Co, apresentando baixa remanência para baixo torque residual (< 2% do torque máximo), com granularidade de 50 ~ 800 mícrons, em forma arredondada para o melhor característica anti-fricção e anti-erosão das superfícies mecânicas pelo atrito com o pó magnético.

Quando a máquina faz o freio girar, o pó é forçado a distribuir-se pela cavidade, comprimido pela força centrífuga contra a superfície do estator. No entanto, quando a energia é aplicada à bobina, o fluxo magnético resultante tenta ligar as partículas entre si, quase como uma lama de partículas magnéticas. 

As partículas de pó se alinham ao longo das linhas de força do campo magnético, ligando o rotor e o estator em conjunto. Isso produz atrito e, consequente frenagem. À medida que a corrente elétrica que flui pela bobina é aumentada, a ligação das partículas torna-se mais forte.


O rotor do freio passa por essas partículas ligadas. A saída da caixa está rigidamente ligado a uma parte da máquina. À medida que as partículas começam a unir, uma força resistente é criada no rotor, abrandando e, eventualmente, parando o eixo de saída.


Quando a corrente da bobina é desligada, o eixo fica livre para girar e a força centrífuga pressiona o pó magnético, novamente, contra o estator. Isto, consequentemente, liberta o rotor, que pode rodar livremente. No entanto, uma vez que o pó de partículas magnéticas permanece na cavidade, devido ao magnetismo residual, esse tipo de dispositivo de freio possui, sempre, alguma magnitude de conjugado resistente residual associado a eles.

Fato interessante quanto a tal tipo e freio é que é que quanto maior ele é, muito mais eficiente ele se torna, podendo produzir Conjugados Resistentes máximos, desde 2 Nm até 500 Nm, consumindo uma mesma potência elétrica, em torno 24 W. Isso ocorre por que a energia que produz a frenagem vem da quantidade de matéria que é magnetizada, não dependendo, necessariamente, da capacidade da fonte de energia elétrica.

Entre uma unidade de de freio de menor porte e uma outra unidade de freio de porte maior, apenas a indutância da bobina é, em geral, um pouco aumentada. N entanto, isso faz com que a constante de tempo (L/R) e, portanto, o tempo de resposta do freio, também aumente. Isso significa que freios eletromagnéticos de partículas de maior porta são muito eficientes em energia mas são lentos em resposta.

Todavia, em todos os casos, para manter o torque ajustado estável, a fonte de alimentação precisa ser regulada em corrente, seja por método de regulação linear ou por PWM, neste caso, com frequência de chaveamento próxima a 1kHz.

Além do freio, será necessário um bom multímetro para se monitorar a corrente da bobina (torque) e um bom tacômetro para se medir a rotação para várias condições de torque.

Arquitetura de um Motor Puramente Magnético:


É uma pena que o blog original do autor do Torian III saiu do ar. De qualquer modo, eu desejo sucesso! Tal qual Nikola Tesla nos havia dito, o universo é cheio de energia elétrica e de energia eletromagnética e, os ímãs estão apenas focando e canalizando essa energia.

Engenheiros do Hitachi Magnetic Corp da Califórnia, afirmaram que "... um motor-gerador executado exclusivamente por ímãs é viável e lógico, mas a política da questão o tornar impossível para prosseguir no desenvolvimento de um motor de imã ou qualquer dispositivo que possa competir com os cartéis de energia."

Uma geometria aproximada (e ilustrativa) da arquitetura de um dispositivo que poderia funcionar como um motor puramente magnético, baseado no princípio da repulsão, é mostrado na figura a seguir:



A constituição desta máquina prevê a instalação de 3 peças magnetos de neodímio em série, alojados em cada um dos 15 receptáculos existentes ao longo da periferia circular, tanto do rotor, quanto do estator. Os receptáculos nada mais são que perfurações redondas com centro deslocado em 24º entre furações adjacentes, para alojar, em série, cada uma, 3 peças de imãs de formato disco cilíndrico de Ø = 6 mm x 6 mm.

Deste modo, o estator consome um total de quarenta e cinco peças de magnetos e o rotor, também, quarenta e cinco peças de magnetos (total 90), alojados em receptáculos que são furados com uma inclinação axial de 23º em ambos, estator e rotor.

Também ambas as peças de disco do estator e do rotor podem ser obtido por usinagem em Chapa de Poliacetal (termoplástico, branco (em geral), opaco) de espessura 12 mm, um material que garante excelente estabilidade dimensional, possuindo alta resistência e diminuta absorção de água. 



O poliacetal é utilizado na fabricação de engrenagens, roscas sem fim, roldanas, rolamentos, buchas, eixos, guias entre outras peças industriais. Outras propriedades são: alta rigidez, elevada resistência, atoxicidade, baixo coeficiente de atrito, excelente acabamento superficial, facilidade de usinagem, magneticamente neutro (base de resina poliacetal é inerentemente não-magnética) e, principalmente, não é tão caro.

Além da questão da geometria, outra questão importante a ser considerada é com relação a quanto de Torque e quanto Potência que se pode extrair desse tipo de máquina por volume / massa de magnetos empregados e como a geometria afeta isso e eu ainda não disponho de dados experimentais para apresentar. Também questões com respeito ao método de partida/parada da máquina e quanto a regulação de velocidade devem ser pensadas.

Com a máquina em repouso, em geral, estator e rotor estão separados, o suficiente para não interagirem, magneticamente, de modo considerável. Assim, para a partida da máquina, usa-se deslizar o estator para que o rotor passe a se alojar exatamente dentro do seu interior e, com isso, os campos passam a interagir e o rotor a girar.

Assim, será preciso pensar em algum tipo de atuador mecânico biestável com mudança por ação momentânea de um solenoide eletromecânico, ou pôr ação de um solenoide biestável baseado de imã permanente, que possa promover o deslizamento, do estator, tanto para partida , quanto para parada, automaticamente, a partir de um leve toque pelo operador em um botão pulsador, ou de um impulso proveniente de um circuito de comando partida / parada automático.

Muitas arquiteturas apresentam um sistema triplo, com três conjuntos estator / rotor (três discos de rotores e três discos de estatores, como o Torian III). Nestes casos, é conveniente que exista, de um disco para o outro, uma defasagem física correspondente a 1/3 da distância entre os receptáculos de ímãs adjacentes. Isso reduz a possibilidades de existir zonas mortas em inter-polos. 




Perendev-Type Magnetic Motor Animation

Outra questão relevante à viabilidade de tais máquinas, e que é de difícil verificação, é com respeito a durabilidade dos imãs, que com toda certeza deverá ser menor do que o apregoado pelos fabricantes dos ímãs de neodímio, uma vez que a frequente operação por oposição de polos, com a atrito magnético da repulsão produzindo algum eventual calor por indução irá provocar um decaimento mais rápido do momento magnético das peças do que o normal. Vibrações e choques de partida / parada também podem constituir-se em forças de desmagnetização.

É bom lembrar que,  apesar desse imãs apresentam um enorme fluxo magnético, eles são mecanicamente frágeis e podem perder seu magnetismo de modo irreversível em temperaturas acima de 120°C. Alguns experimentadores (e críticos) desse tipo de aplicação falam em decaimento em poucos meses, outros falam em decaimento após 20 anos, o que seria muito bom. Mas isso depende também da classe do imã de neodímio.

Os ímãs de neodímio (N) são classificados pelo material de que são feitos. Em geral, quanto maior o grau (o número que segue ao "N"), mais forte é o ímã (maior BH max). O mais alto grau de ímã de neodímio atualmente disponível é N52 (42>BHmax>40), porém o N42 (52>BHmax>49,5) é o que apresenta a melhor relação custo-benefício.

Qualquer letra seguindo o grau refere-se à Temperatura Máxima de Operação do ímã e, não existindo letra em seguida ao grau, o ímã de neodímio é para a temperatura padrão.

Para a temperatura padrão (Temperatura Máxima de Operação = 80°C), os valores de grau N (faixa de BHmax) para diferentes tipos de materiais de imãs de neodímio são:


Tipo de MaterialDensidade de Fluxo Residual Br (kG)Força Coerciva
Hc (kOe)
Força Coerciva Intrinseca Hci
(kOe)
Produto-Energia
BH max (MG.Oe)
N3511.7-12.1>11.0>1233-35
N3812.2-12.6>11.0>1236-38
N4012.6-12.9>11.0>1238-40
N4213.0-13.2>11.0>1240-42
N4513.3-13.7>11.0>1243-45
N4813.8-14.2>11.0>1245-48
N5014.1-14.5>11.0>1148-50
N5214.5-14.8>11.2>1149.5-52

kG => Quilo Gauss  ;   kOe => Quilo Oersted  ;   kG.Oe => Quilo Gauss-Oersted

As classificações de temperatura de operação são:

Padrão (sem letra) --> Tmax = 80°C ; Tcurie = 310°C
M  --> Tmax = 100°C ; Tcurie = 340°C   (o mais forte: N50M)
H   --> Tmax = 120°C ; Tcurie = 340°C   (o mais forte: N48H)
SH --> Tmax = 150°C ; Tcurie = 340°C   (o mais forte: N45SH)
UH --> Tmax = 180°C ; Tcurie = 350°C  (o mais forte: N40UH)
EH --> Tmax = 200°C ; Tcurie = 350°C  (o mais forte: N38EH)

Todavia, quanto mais alta a faixa de temperatura de operação recomendada, maior será o custo do ímã e menor será o BHmax que é disponível para aquela faixa, de modo que a melhor relação custo benefício o recomendado situa-se entre o N42H - N42SH.

Neodímio ferro boro (NdFeB) é uma liga feita principalmente a partir de uma combinação de neodímio, ferro, boro, cobalto e diferentes níveis de disprósio e praseodímio.

A composição química exata no interior do NdFeB depende do grau de do NdFeB. Disprósio e praseodímio são adicionados como um substituto para algum do neodímio para melhorar a resistência à corrosão e melhorar a Hci (coercividade intrínseca) do neodímio. Um exemplo da composição é dado abaixo:

Principais Elementos no NdFeB
Porcentagem na Composição
Neodímio (Nd)
29% - 32%
Ferro (Fe)
64.2% – 68.5%
Boro (B)
1.0% - 1.2%
Alumínio (Al)
0.2% - 0.4%
Niobio (Nb)
0.5% -1%
Disprósio (Dy)
0.8% -1.2%


O método de fabricação de ímãs de neodímio ferro boro é como apresentado neste Resumo de Produção:


Caso você resolva entrar nessa área de pesquisa, como primeiro passo esqueça a ilusão de energia totalmente livre.Os metais de terras raras são encontrados, comercialmente viáveis, em poucos locais da terra, a grande maioria dentro da China, portanto, um negócio altamente geo-politicamente dependente.

Outra coisa a ser considerada é que, apesar dos fabricantes persistirem em afirmarem que ímãs de neodímio irão durar "uma vida", de qualquer modo e sobre qualquer circunstância, a verdade é que pouco se sabe para se poder suportar essa afirmação. O que de fato ocorre com a sua força, com a decorrência do tempo de vida do neodímio, quando submetido a uma operação de repulsão magnética de intensidade continuamente variável (que é o que ocorre quando a máquina está girando), é um mistério.

Por isso, se você for trabalhar seriamente com ímãs, eu recomendo que você considere a possibilidade de obter, além dos instrumentos de medição eletrônica triviais, também um Medidor de Fluxo Magnético para que você mesmo possa fazer experiências envolvendo a vida útil do neodímio.

Um Medidor de Fluxo de Campo Magnético (Fluxômetro, mas, para não confundir com outros tipos de medidores de fluxo, como dre fluxo hidráulico, por exemplo, também chamado de Medidor de Campo Magnético"Gaussmeter" ou "Teslameter") é um instrumento integrador eletrônico com mostrador digital com alta sensibilidade e pequeno desvio.

Os medidores de campo magnético "gaussmeter" permitem a medida da densidade de fluxo magnético que atravessa uma seção transversal (no ar). A relação entre o a densidade de campo e o fluxo magnético é dada por:

 B = F / A      , sendo:                                                                B = A intensidade de campo magnético ou indução magnética [T] 
F = Fluxo Magnético em [V.s] = [T.m2] = [Wb]
A = Seção Transversal  [m2]

Medir o campo magnéticos na superfície de ímãs ou no "gap" de dispositivos magnéticos, destacam-se como as principais medidas que podem ser feitas com os medidores de campo magnético.

Notem que, a unidade de campo magnético (H) no Sistema Internacional (SI) é Ampère por metro (A/m). Apesar de todo o esforço em utilizar as unidades do SI, muitos equipamentos de medidas ainda utilizam as unidades do sistema CGS, no qual o campo é medido em oersted [Oe]. 

Já, as unidades gauss (G), no CGS e tesla (T) no SI referem-se a indução magnética (B) - também denominada de densidade de fluxo magnético. Esta é a grandeza que pode ser medida, diretamente, com os medidores de campo magnético.

O medidor de fluxo pode ser usado não só para a medição do fluxo magnético dos ímãs permanentes, mas também para o controle de qualidade e de triagem de produtos magnéticos em geral. Sua versatilidade faz com que o seu emprego seja possível, tanto em laboratório, como também na linha de produção de uma empresa, e recomendados para a medida de campos de ímãs, solenoides DC, magnetização residual e dispositivos magnéticos.

Um bom fluxômetro tem funções como as de retenção de valor máximo e de indicação automática de polo e, ao menos, quatro faixas de medição selecionáveis. Ele pode também ser utilizado para a medição do campo magnético de impulso. Estes medidores de fluxo, em geral, medem o fluxo Ф de um campo magnético, usando o princípio de indução eletromagnética e o método de integração eletrônica. O diagrama do sistema de medição é mostrado na figura a seguir.


O sensor de medição, em geral, é um dispositivo constituído de um par de bobinas de Helmholtz, que consiste de duas bobinas magnéticas circulares idênticas que são colocadas simetricamente, uma em cada lado da área experimental ao longo de um eixo comum, e separadas por uma distância igual ao raio da bobina. Cada bobina conduz uma corrente eléctrica igual, que flui no mesmo sentido relativo, para produzir uma região de campo magnético quase uniforme.

Uma corrente é induzida pela variação do fluxo magnético Ф passando através de uma bobina de medição. A corrente é a entrada do medidor de fluxo. Após a integração do atual obtém um sinal de tensão de CC, que é proporcional à variação do fluxo magnético. A tensão CC é convertida em sinal digital e exibida pelo mostrador. Assim, o fluxo magnético pode ser medido deste modo mas, antes de fazer a medição, em geral, é necessário que se faça a sintonia para eliminar o desvio pois, o fluxômetro irá mostrar uma valor aleatório que aumenta em uma direção de forma contínua.

Este valor do desvio é causado pela acumulação de desvio do sinal do integrador no medidor de fluxo. O ajuste é no sentido de fazer um ajuste grosso até que o valor do desvio passe a mudar bem lentamente, para, dai, então, poder também utilizar o ajuste fino para terminar de ajustar o desvio. Pressione a tecla RESET, após o valor do desvio ter se mantido estável, um indicador deve exibir ZERO, caso contrario, procede-se um reajuste fino, até que o indicador ZERO seja ativo. O ponto zero será mais estável se você usar o ajuste fino para ajustar o desvio.

Medidor de Campo Magnético - Gaussmeter
Série TLMP-HALL
Como se pode perceber, um fluxômetro não é um instrumento de operação trivial, o ideal é que se considere atentamente todas as instruções do manual de operação do usuário que é associado a ele. Ele também é um instrumento caro mas, existe alguma possibilidade de improvisação empregando multímetros comuns e uma simples antena AM de quadro, desde que se construa em separado, o circuito integrador eletrônico que irá interfaceá-los. Mas esse artifício não é o ideal para se medir fluxos magnéticos intensos, como é o caso do imãs de neodímio.

Alguns medidores comerciais são bastante precisos, porém mais caros. Eles dispõem de um mostrador em tela rica de informações, mas costumam ser produzidos com escala fixa, tendo que se escolher o modelo do instrumento pelo fundo de escala desejado, na hora de adquirir um medidor. Apresentam as funções: medida de campo  DC, medida de campo Máximo DC (valor de pico de um campo variável), Polaridade (Norte/Sul). Acompanham "Relatório  de  Calibração" a partir de padrões magnéticos rastreados e uma Sonda Hall Transversal (ponta para medição) fixa (5 x 1,5 mm). Dez modelos encontram-se em produção e venda (pela GlobalMag / MAGNAFLUX), como o modelo da foto ao lado, nos seguintes fundos de escala:

TLMP-HALL-20k    ± 20000 gauss (DC)
Medidor de Campo Eletromagnético Digital Icel EM-8000
TLMP-HALL-15k    ± 15000 gauss (DC)
TLMP-HALL-10k    ± 10000 gauss (DC)
TLMP-HALL-05k    ± 5000 gauss (DC)
TLMP-HALL-02k    ± 2000 gauss (DC)
TLMP-HALL-01k    ± 1000 gauss (DC)
TLMP-HALL-300   ± 300 gauss (DC)
TLMP-HALL-200   ± 200 gauss (DC)
TLMP-HALL-100   ± 100 gauss (DC)
TLMP-HALL-050   ± 50 gauss (DC)

Outros, já são menos precisos e mais baratos (cerca de R$ 750,00). Estes dispõem de chave de seleção de escala, só que não costumam ir além de 20.000 mili-gauss (20 gauss) como máxima medida (como o da foto ao lado), de modo que este, pouca ou nenhuma serventia terá para se trabalhar no controle da dimensão da densidade de fluxo magnético dos potentes imãs de neodímio (que é da ordem de 10 ~ 20 quilo-gauss).

Diante disso e, como boa parte dos técnicos e engenheiros envolvidos com magnetismo e eletro-magnetismo costumam possuir, de antemão, um multímetro, cujos mais sofisticados e caros, instrumentos manuais, com mostrador de 4 e 1/2 dígitos, custam menos do que o medidor de campo eletromagnético mais barato visto ai em cima, então, a melhor solução em termos de custo-benefício, para se medir campo magnético de imãs de neodímio, pode ser o emprego de um Transdutor de Campo  Magnético.

Transdutor de Campo  Magnético - TMAGv2
Um Transdutor de Campo  Magnético é um instrumento que  converte a intensidade do campo magnético em uma tensão elétrica, ou seja, ele gera uma tensão elétrica proporcional ao campo magnético medido. Ele não tem mostrador algum e, portanto, é mais barato. Este instrumento  pode ser acoplado a um multímetro (ou a um osciloscópio ou um sistema de aquisição de dados), para monitorar a intensidade de campos magnéticos CC e CA (com multímetro, apenas CC). Costumam possuir duas sensibilidades: 0,1T/V (tesla/volt) e 1T/V. Destina-se, sobretudo, para uso em projetos e desenvolvimento de produtos envolvendo magnetismo / eletro-magnetismo, diagnósticos de problemas magnéticos e na pesquisa científica.

Como a saída máxima é de 2,0 Volts absolutos (+2V para polo norte e -2V para polo sul), isso significa que, usando-se a escala (ou sensibilidade) de 1T/V, podemos medir campos de intensidade de até 2 Tesla, que corresponde a 20.000 Gauss, cobrindo toda a necessidade de medição, para todos os imãs permanentes, incluindo os de neodímio, atuais.

Fraudes Reais:


Desde 2006 Michael J. Brady afirmava ter disponível para venda geradores, tanto com máquinas de 100 kW, quanto com de 200 ~ 300 kW, motores totalmente magnéticos, livre de outra fonte de energia, muito menos necessitando combustível.

Ele afirmava que isso era uma evolução de seu alegado motor puramente magnético, que milhões de pessoas têm visto em vídeos on-line (motor Perendev original), postado na Web em conjunto com uma demonstração de que ele havia se programado para fazer na Alemanha em 2004, mas que não se concretizou.

Depois Brady iniciou contratos e pré-venda e passou a tomar dinheiro de um grupo de 61 clientes alemães, muitos dos quais pagando até a metade do preço de compra de 20.000 a 40.000 euros por um gerador. O valor total arrecadado superou a marca de 1 milhão de euros, apenas de clientes alemães mas, as máquinas prometidas nunca foram entregues, nem nunca se pôde verificar clientes fora da Alemanha que realmente chegassem a receberam tal produto.

Depois de declarar falência na Alemanha, Mike Brady alugou uma casa no Lago Zurique, na Suíça, adquiriu  alguns Maseratis e Range Rovers. Ele foi preso e extraditado para a Alemanha, onde os 61 clientes queriam seu dinheiro de volta.

Jornais alemães confirmaram que ele foi, de fato, preso em Zurique em 29 de março de 2010 e extraditado para a Alemanha em resposta a um pedido feito pelo Ministério Público de Munique, tendo ido para a  cadeia em Stadelheim. Parabéns para a justiça alemã, continuem nos dando o exemplo!


Segurança Pessoal:


Atenção, peças de imãs de neodímio podem se tornar objetos bastante interessantes de se manipular nas mão de curiosos, todavia, alguns cuidados são recomendados. Por exemplo, duas peças de blocos de neodímios iguais, digamos que retangulares, de medidas 50 X 50 X 20 mm, podem se atrair até mesmo a longas distâncias (maiores que 500 mm) e, não havendo nenhum corpo material que se interponha entre eles, eles colidirão com grande impacto, podendo até mesmo quebrar alguma (ou ambas) as peças e fragmentos do material podem, eventualmente, ser lançados a grandes velocidades.

Isso representa em uma situação de risco a ser considerada, com relativo grande perigo para a integridade da saúde dos seus olhos. Por  isso é recomendável que se manipule múltiplas peças de imãs de neodímio usando óculos de segurança.

Além disso, se uma das suas mãos, ou mesmo outra parte do seu corpo, estiver interposta entre dois deles, de dimensões tais quais descritas anterior, no momento em que haja uma eventual atração, isso pode resultar em contusões e ferimentos graves, chegando mesmo a quebrar seus ossos. Por isso, tome muito cuidado, principalmente ao movimentar uma peça de imã de neodímio com as mãos, próxima de outras peças.

Só Mais um "Vídeo Idiota"?


Uma visão geral do motor Perendev e replicação experimental por Sterling D. Allan do "Pure Energy Systems". A replicação do motor Perendev utiliza uma série de magnetos montados nas extremidades de um conjunto de rotor-estator múltiplo, na qual os estatores deslizam para engatar com os rotores, e começar a girar o eixo. Vídeo postado por American Antigravity


Leia também:


257 comentários:

  1. Meu caro, não li o texto todo, quero apenas deixar bem claro enquanto engenheiro e examinador de patentes, que este texto é uma farsa, e que os motores magnéticos auto-suficientes são uma farsa.
    http://www.veraveritas.eu/2012/11/por-que-nao-funcionam-os-moteres.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Motores puramente elétrico viáveis comercialmente têm sido uma farsa, todavia, o texto dessa postagem não!

      Excluir
    2. isso meu caro amigo EXAMINADOR, você não é nada mais do que isso... por isso acha ser uma farsa.

      Excluir
    3. Amigo até a alguns anos atrás todos, e até os maiores cientistas da época afirmavam sem sombra de dúvidas que a terra era chata e o centro do universo, então não se pode dizer em farsa mesmo que se prove o contrário!

      Excluir
    4. O importante é mantermos o espírito de pesquisa, sempre, e não duvidar que ainda possam existir alguma nova maneira de explorar a conversão de energia a partir do magnetismo puro, as quais ninguém ainda conseguiu trazer ao estado da arte. As tecnologias não se desenvolvem sem se levar a cabo pesquisas e, as pesquisas, estas sequer se realizam onde não haja ao menos um pouco de fé.

      Excluir
    5. ola a todos.... nao sou nenhum estudioso, mas gosto muito fisica, nao estudei, por isso nao posso afirmar nada, mas com um pouco de atencao fui capaz de perceber que a chave do projeto é a blindagem que por meio de pesquisa seria o mumetal, que diz ser uma mistura de ferro e cromo capaz de desviar o campo magnetico pois tambem li que impossivel anular ele, pude perceber que o problema esta na reentrada pois a mesma força que o empurra o freia tambem porem se tiver uma blindagem eficiente apartir dai começa a se ganhar força nos projetos notei uma inclinaçao de 23 graus , acredito que uns 30 graus ajudaria a dar mais impulso pois considerando a blindagem a inclinacao e a distancia se perde em uma coisa mais acaba por ganhar mais em outra que seria a inclinacao , outro ponto que percebi foi que nos que vi em video eles tinham mais do que rotor com uma sobreposicao de um terco sobre o outro, que é uma questao muito importante gosto de mecanica e digo de certeza uma motor a combustao de quatro cilindros tem bem menos torque que o de seis pelo mesmo motivo dos 3 rotores vistos nos videos , teorizando quando um esta explodindo ja te outro a meio passo disso, como ja disse nao vou saber explicar isso com palavras bonitas ou tecnicas mas consigo explicar a minha maneira por meio de observacao e analize consigo absorver muita informaçao ai mesclo com experiencias que ja tive e tento por em pratica acredito que esse feito nao precisa ser muito grande para gerar uma quantidade significativa de energia e sim com varios rotores imas de 3 cm de cumprimento com blindagem em mumetal em formaçao de maneira de que o eixo nunca fique sem empuxo assim gerando mais torque da mesma forma em que funciona um motor com varios cilindros, pessoal desculpe a minha falta de tecnica para explicar as minha ideias talvez perto das passoas aqui sou ate meio ignorante... nao sou bom em portugues tambem e a falta de acentuaçao e porque estou escrevendo em um teclado no qual ainda nao tenho pratica em estou com preguiça de achar os acentos rs, mas contudo espero ter sido util se alguem tiver alguma ideia a acresentar ficarei grato.... logo estarei tentando montar o meu mas devido ao custo elevado dos imas e do mumetal vou tentar fazer algo que dando certo vai me resolver de alguma maneira ou seja gasto nisso mas poupo enegia depois!!!!

      Excluir
    6. já expliquei milhentas vezes que o limite é teórico, não é técnico. 1+1 será sempre 2
      Baseia-se na lei da conservação da energia.

      Excluir
    7. Certo, até porque nada se ganha, nada se perde, tudo se transforma... Bem verdade, mas nos não queremos um motor que rode para sempre sem energia externa, só queremos um motor que não nos gaste o guito todo que temos na carteira.. portanto, talvez seja embuste, ou talvez ainda não saibamos como rentabilizar a capacidade de um iman... mas só de uma coisa eu tenho a certeza, não há certezas absolutas, o que hoje é verdade, amanhã pode ser provado errado, por isso, vou continuar a acreditar que talvez um dia consigamos fazer um motor rodar sem grandes GASTOS... tal como as árvores levam os seus nutrientes desde as raizes até às folhas, sempre, de forma constante, e sem esforço...
      A verdade é que o limite teórico, não é o limite pratico... as leis ontem verdadeiras, hoje são erradas, quem diz que as de hoje, não são amanha erradas também!? eu não ponho as mão no fogo, mas também não percebo nada disto...

      Excluir
    8. João, volta lá para o seu blog e deixa quem quiser investigar que investigue, ou seja para de encher o saco de quem está tentando achar uma solução viável para um problema mundial, leve seus bla bla bla para os centros academicos e universitários.....abraço

      Excluir
    9. João chupa essa manga aqui então https://www.youtube.com/watch?v=QOyuZSzkWRU, patente aberta responsável pela obra prima é um Turco.

      Excluir
    10. Desde 2009 circulam noticias sobre o tal Turco e seu motor.
      Entretanto, nada de concreto foi apresentado ao mundo ate' hoje, como seria de se esperar. No maximo, alguma encenacao no youtube, suficiente para enganar alguns trouxas.
      Somente ignorantes e vigaristas e' que continuam a propagar tais fantasias.

      Excluir
    11. "Meu caro, não li o texto todo"... (Seu texto João)
      Como levar você a sério João Pimentel Ferreira?! Opinar sem ler?! Você uma "comédia"!
      Parabéns pelo texto André Luis Lenz.

      Excluir
    12. Obrigado pela sua visita e pelo seu apoio, Anônimo.

      Excluir
    13. Não gente. Não é desde 2009, é desde 1996. Aquele americano que colocou o motor magnético no carro, ele fez uma experiencia num motor grande e o vídeo está no youtube.

      Excluir
  2. Caro João ... você nem leu o artigo e já tem conclusões ... hum ... você é bom hein ... poderia ao menos corrigir os erros de português lá do seu texto ... ou não postar esse tipo de comentário ... ou melhor ainda ... ler a matéria ... dã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acredito que ele nem sequer leu ... apontar erros de ortografia / gramática me ajudam!

      Excluir
    2. erros de gramática não diz nada. pois a gramática vive mudando todo ano. o que vale e passar a informação de maneira que deixe a menor quantidade de duvidas. Tudo bem que uma boa gramática ajuda um pouco. mais nem tanto. Pior ira ficar com os adolescentes de hoje. Que deveria ser escrito (oje) e casa Deveria ser (CAZA)... Sendo assim todo silaba tônica deveria ser acentuada. O português do Brasil e uma bagunça. Cheio de regras sem noção. A uns 25 anos a traz farmácia era escrito com PH... Então com PH ou com F todo mundo entende o que (reprezenta.) :-)

      Excluir
    3. Gente, vamos parar de frescura com relação a ortografia, portugues, redação e tal.
      O importante é encontrarmos o movimento inicial, através da força de repulsão que os ímãns nos dá. E pararmos de utilizar energia de hidrogênio, petróleo e elétrica. Senão, vamos acabar tendo que construir Usinas Nucleares.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Não basta que a máquina tenha girado: agora é preciso que se faça ensaios e sobre a regulação de velocidade e de torque e, um dia, se possível, nos reporte suas conclusões.

      Excluir
    2. Eu creio que tenha, de fato, funcionado, até ai, mas ...

      Excluir
  4. Comédia esse cara, essa porra nao roda nao!!

    ResponderExcluir
  5. Comentários em Blogs brasileiros, sempre muito medíocres! Coisa de país periférico mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante seus comentários, e explicações, mas acredito ser possível sim funcionamento em escala industrial, tenho como hobby aeromodelismo, e certa vez tinha sobra uma mesa diversos motores elétricos de alto rendimento (a maioria desmontado), de repente percebi que um destes motores começou a girar em grande velocidade, sem nada estar ligado a ele, retirei-o do meio das tralhas para verificar o que estava acontecendo, e este parou de funcionar, até hoje não consegui repetir o efeito de jeito nenhum. a unica explicação que pude encontrar seria o mesmo ter entrado em um angulo favorável com outros imans, dispostos ao redor. Lembro que não havia nenhuma fonte de energia no local. Ou pode ter sido um fantasma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar a sua experiência, por sinal, bastante interessante, Armando Amaral. De fato, "ter entrado em um angulo favorável com outros imãs, dispostos ao redor", é a explicação mais lógica.

      Excluir
    2. Você tem um pé de imã ai na sua casa? ou é só cavar um pouco que se encontra os imãs? Gastar energia elétrica para fabricar o imã para depois inventar algo para utilizar esse imã para produzir energia elétrica novamentee.. ótima idéia...

      Excluir
    3. Sim, amigo Energia Elétrica, de fato, é requerida no processo de fabricação dos Imãs Permanentes. Mas a aplicação dos imãs permanentes, mesmo nas aplicações clássicas e consolidadas de máquinas elétricas, permite, sempre, uma economia desta mesma energia, a longo termo, na fase de utilização da cadeias de produção e de utilização dos imãs permanentes. Continue voltando e obrigado por seu comentário!

      Excluir
    4. fantasma não comprovaram que realmente existe. Mais campo magnético sim... Então vou aproveitar a sua descoberta por acaso e fazer uns teste para ver os resultados. ;-)

      Excluir
    5. Esse Anônimo é uma piada, diz que os brasileiros são medíocres, diz que não roda e agora que colocar p funcionar, hehehe

      Excluir
  7. Boa tarde. Gostaria de contribuir um pouco com este endereço. http://www.youtube.com/watch?v=tQhoruRLkF8.
    Aqui podemos ver funcionando uma motocicleta que usa um motor magnético. Há outros youtubes que demonstram que ela funciona inserindo-se os imãs do rotor no estator e sair andando. Nosso amigo João é dos que participam da rede de desinformação e descrédito de tudo que possa desestabilizar o que está instaurado no mundo. é uma pessoa que tem medo do desconhecido. Nicola Tesla foi um visionário fantástico e um gênio em sua área, que não foi superado por ninguém até o presente momento. ele montou uma torre de distribuição de energia, pela terra para as casas com o financiamento do Banco Goldman Sachs, e quando a fez funcionar, Goldman lhe perguntou, Ok, Beleza, distribuiu muito bem, e agora, como ganho dinheiro com isso. Tesla lhe disse, não ganha, isso para a humanidade. Não durou um dia a mais montada, e faltou o Goldman lhe dar um no traseiro.... tudo tem que ter um custo/benefício, nada é de graça, mas acredito que nossa matriz energética já foi pro espaço faz tempo. E se não a mudarmos já, não teremos planeta para usufruir do lucro astronômico que tenhamos ganho, se me fiz entender....
    as explicações são boas e elucidativas. Obrigado. continue.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio. Também sou grande admirador do Nikola Tesla, colega, até mais admirador do homem, do que do cientista, em si.

      Excluir
    2. Obrigado por compartilhar o linque. Penso que para haver um acionamento da máquina em velocidade variável, controlado, TEM QUE SER TECNOLOGIA HÍBRIDA (eletromagnético), mesmo. Ou pode virar um trambolho inviável.

      Excluir
    3. O mundo é dos loucos.Darwin, Einstein, Da Vinci, Santos Dumont entre muitos outros loucos e inclusive o cara que inventou a roda.Os manés metidos a Phdeuses, que saem por ai ostentando um rolo de papel e se acham que são os caras,esses só servem para deitar no chão da História, servirem de capacho para os loucos e depois virar poeira.Parabéns pela postagem do artigo André Luis Lens. Sucesso!

      Excluir
    4. Obrigado pelo incentivo, Sr. Haroldo Cesar Fernandes. Desejo sucesso em dobro para a ONG PRÓ AZUL. Estamos juntos! Abraços!

      Excluir
  8. Bom andei lendo muito referente a este assunto e estou decidido a provar o funcionamento de um motor que possa gerar energia apenas com a atração e repulsão magnética e sim, por isto no mercado a fim de obter lucro financeiro e também a contribuir para o bem do planeta. Vou começar com escala menor do que a maioria que tem por ai e não colocam em prática porque são elefantes brancos enormes e ñ geram energia o suficiente para acender sequer lâmpadas. Breve voltarei com novidades, ficarão atônitos com o que verão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os meus sinceros desejos de boa sorte, colega. Qualquer coisa, estamos por aqui!

      Excluir
    2. link - Aqui pode publicar link? Se não vou publicar duas vezes, este é o com o link da imagem, do projeto do motor, (ou ideia extra para o aperfeiçoamento do seu projeto - veja se aproveita, se serve para alguma coisa esta teoria) com ímãs laterais, diferente de todos que você, possa ter visto - link simulado, vale? Então veja pelo menos por curiosidade:
      digite no navegador: http://josepinheiro.webs.com/plano_motor_magnetico_1_tempo.pdf
      Para você usar no seu projeto, não sei se já viu nas suas pesquisas, a defasagem, igual a aqui proposta no blog, mas com uma ligeira modificação, e esta vi em algum lugar no youtube, que para descrever, iria tomar muito tempo, só para isto, então o link tem a imagem no arquivo formato "PDF" um desenho que fiz no corel draw, e exportei no formato "PDF" - como dizem uma imagem vale... e para bom entendedor... rsss

      Excluir
    3. Só mais uma correção, na imagem atrav~es do link de postei no meu site: 64 ímãs (total):
      http://josepinheiro.webs.com/plano_motor_magnetico_1_tempo.pdf

      Excluir
    4. Boa, colega José Pinheiro. Obrigado por compartilhar o seu plano de motor magnético conosco. Pode publicar linques, sim, sempre que quiser. Você é sempre bem vindo.

      Excluir
    5. Você tem um pé de imã ai na sua casa? ou é só cavar um pouco que se encontra os imãs? Gastar energia elétrica para fabricar o imã para depois inventar algo para utilizar esse imã para produzir energia elétrica novamentee.. ótima idéia... darrrrrrr

      Excluir
    6. Sim, amigo Energia Elétrica, de fato, é requerida no processo de fabricação dos Imãs Permanentes. Mas a aplicação dos imãs permanentes, mesmo nas aplicações clássicas e consolidadas de máquinas elétricas, permite, sempre, uma economia desta mesma energia, a longo termo, na fase de utilização da cadeias de produção e de utilização dos imãs permanentes. Continue voltando e obrigado por seu comentário!

      Excluir
    7. Claro Anônimo. Futuramente, as máquinas utilizarão a própria energia infinita que estamos desenvolvendo agora, para fabricas os seus próprios ímãs.
      Não serão necessários os gastos com construções de novas hidroelétricas ou nucleares, nem pagamento de contas + ou - assim. Claro que com muitas outras finalidades. Abraço

      Excluir
  9. não acredito em milagres desse tipo. Segundo a Física na natureza nada se cria mas tudo se transforma. Sendo assim, energia não se cria, ela apenas se transforma de uma forma em outra. Nesse caso será impossível criar um motor perpétuo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A 'magia' morreu com o Mago Merlin, Rafael (se é que algum dia ela existiu). A pergunta é, Rafael, a seguinte: Existe, ou não, ENERGIA pré armazenada em um imã natural?? Se existe, o que nos impede de convertê-la?

      Excluir
  10. Linques sugeridos:

    http://www.thenakedscientists.com/HTML/questions/question/1809/

    http://www.coolmagnetman.com/magfree.htm

    http://van.physics.illinois.edu/qa/listing.php?id=17858

    http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp=&arnumber=737473&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fiel5%2F20%2F15911%2F00737473

    http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp=&arnumber=822554&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fiel5%2F20%2F17822%2F00822554.pdf%3Farnumber%3D822554

    ResponderExcluir
  11. Estou montando o meu. Esperando chegarem os imãs e ver o que podemos fazer... Estou confiante.
    Espero poder utilizar as informações passadas no seu post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amigo conseguiu comrpar imas de 3cm?

      Excluir
    2. O que as pessoas não entendem que não se trata de um moto continuo..a força vem de imãs... Até ai não disse nada demais...rss Mas pensem bem ..imãs estão suprindo um pulso de energia constante e de graça.. a unica coisa que poderia dar errado e um professor de uma universidade disse que o imã não dura por muito tempo.. ai eu desanimei ..fora isto é uma revolução com certeza... Mas por outro lado dizem quem o imã dura centenas de anos..ai não sei o que dizer..

      Excluir
    3. O seu professor de universidade não mentiu, colega anônimo, esta aplicação onde existe a comutação da força de repulsão faz o produto energia dos imãs decaírem bem mais rapidamente do que os alegada vida útil de "séculos". Eu estou usando o meu protótipo mais antigo para TENTAR estudar isso, que é uma coisa em meio a inúmeras coisas que ainda precisam ser estudadas.

      Excluir
  12. Pessoal ...

    Isso de motor magnético funciona sim !
    Depois de 10 anos lendo debates a respeito eu resolvi colocar em prática e penei muito até achar um caminho viável.

    Acontece que não consegui sincronizar uma geração de força com imãs permanentes, porém mixando um pouco de eletrônica básica foi possível combinar magnetos de neodímio com eletroímãs auto-alimentados o aparato obteve êxito.

    Depois bastou acoplar um gerador elétrico de 110V nele e tenho energia a custo zero .

    Não sei quanto tempo vai durar, mas já está operando faz uns 18 meses e a única coisa que precisei fazer até agora foi lubrificar eventualmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O projeto do motor Torian 3, cuja apresentação em vídeo é mostrada nesta postagem, também requereu alguns eletroímãs auto-alimentados estrategicamente agregados em sua estrutura, para funcionar ao contento. Ao que parece, é bastante comum a dificuldade que você mencionou: sincronizar uma geração de força APENAS com imãs permanentes.

      Excluir
    2. Caro Orlando parabens pela iniciativa... não sou engenheiro nem cientista, mas um mecanico curioso... voce teria como postar um video de sua experiencia, estou tentanto construir um motor com solenoides, mas até agora sem torque suficiente.

      Excluir
    3. Prezado Orlando Fisher, sou técnico em eletrônica, estou interessado neste assunto de motor magnético para geração de energia, pelo que entendi vc disse que motores puramente magnéticos não teriam bom torque, é isso? Daí conseguiu mesclar com eletro-ímas auto-alimentados, se importaria de nos ensinar passo a passo de como fazer um? Obrigado desde já..

      Excluir
    4. Prezado colega oxitecnologia, peço o perdão para me meter na conversa entre você. Acho que todos nós que pretendem manter essa conversa concordamos com o fato da possibilidade de extrair energia motora a partir da energia contida em imãs. Assim, eu pondero que, a questão, então, ainda nem é se o torque é muito ou pouco mas, sim, poder dar uma luz a respeito de como se comporta o tanto o torque quanto a velocidades de uma dada máquina puramente (ou predominantemente) magnética.

      A máquina que eu tenho montado (a qual corresponde, mais ou menos, a aquilo que apresentei na postagem) é puramente magnética e, acredite, a magnitude do torque da máquina me satisfaz, porém, os meus ensaios todos tem resultado em um problema: nenhuma regulação de velocidade em função da variação do conjugado resistente me foi possível até o momento. Na verdade, pra ser sincero, o comportamento da velocidade é, ao meu ver, bastante instável e com um comportamento que eu não consigo explicar (para a arquitetura que eu montei) e eu não obtive exito em estabelecer, ainda, uma relação válida entre torque e velocidade.

      Excluir
    5. Prezado André Luis, bom dia. Não me incomodo com sua "intromissão", pelo contrário, agradeço sua iniciativa. Penso que todos sempre temos o que aprender com todos; inclusive este assunto de geração de energia creio que quanto mais pessoas estiverem informadas e envolvidas melhor, pois a política do petróleo não é fácil.. Não sei se podemos postar dados pessoais de contato aqui, sabe se pode? Poderia ajudar-me a construir um motor magnético? Muito obrigado desde já..

      Excluir
    6. Prezado Orlando, você poderia me enviar um esquema com orientações de como montar um sistema como o seu?

      Excluir
  13. Bom tarde André tudo bem?
    Sou estudante de FÍSICA e estou iniciando meu projeto e a principio minha ideia era gerar energia para minha casa assim como Orlando, não se é empolgação da minha parte, mas estou 75% focado nesse projeto e sei que é o futuro, vou construir um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega estudante de Física, eu não apenas te desejo toda boa sorte possível nas implementações práticas que você irá fazer neste seu projeto, bem como eu me coloco a disposição para troca de ideias e, se você for, como eu sou, também adepto do livre de compartilhamento do conhecimento, fique a vontade para postar aqui o que você quiser, principalmente linques para as suas próprias publicações e, principalmente as que sejam associadas à experimentos sobre esse tema. Que Deus esteja conosco.

      Aproveito para comunicar a todos que se interessarem, que vocês podem acessar as minhas publicações técnicas, tecnológicas e acadêmicas a partir do meu perfil no site do EBAH (requer fazer cadastro gratuito): http://www.ebah.com.br/user/AAAAAJGx8AF/andre-luis-lenz

      Excluir
  14. Ola todos!
    Esse motor é possível e roda muito bem sou Engenheiro de controle e automação, já fiz o meu muito tempo fiz inclusive vários tipos para que se pudesse obter o máximo de eficiência do motor, muito especulam e comentam muitas merdas sobre o funcionamento que vamos concordar tem muitos cometários que no minimo são feitos por analfabetos e ignorantes estou ainda fazendo um com cerca de 78,9% de eficiência que é impossível obter os 100%, por causa de vários fatores, fica uma dica usem o mumetal com blindagem pois sem ele não vai funcionar e também as distâncias tem que esta com mais ou menos 0,02 mm de distância de um imã para o outro aconselho a fazer um projeto no AUTO CAD OU ARTCAM E ALGUNS OUTROS SOFTWARE DE DESENHO 2 E 3D, se as distâncias forem discrepantes não terá exito se passar disso o rendimento é prejudicado então façam com precisão milimétrica usem o NYLON pois é o melhor pois tem pouquíssima absorção de líquidos.
    O MEU É QUASE IGUAL AO PERENDEV SÓ QUE MUDA É QUE PUS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS, TENHO MELHOR DIZENDO UMA PEQUENA USINA MAGNETELÉTRICA EM CASA, E DIGO QUE SINTIR VONTADE DE FAZER A SUA QUE FAÇAM...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre em contato, será bem recompensado
      sadergama@hotmail.com

      Excluir
  15. Ola todos!
    Esse motor é possível e roda muito bem sou Engenheiro de controle e automação, já fiz o meu muito tempo fiz inclusive vários tipos para que se pudesse obter o máximo de eficiência do motor, muito especulam e comentam muitas merdas sobre o funcionamento que vamos concordar tem muitos cometários que no minimo são feitos por analfabetos e ignorantes estou ainda fazendo um com cerca de 78,9% de eficiência que é impossível obter os 100%, por causa de vários fatores, fica uma dica usem o mumetal com blindagem pois sem ele não vai funcionar e também as distâncias tem que esta com mais ou menos 0,02 mm de distância de um imã para o outro aconselho a fazer um projeto no AUTO CAD OU ARTCAM E ALGUNS OUTROS SOFTWARE DE DESENHO 2 E 3D, se as distâncias forem discrepantes não terá exito se passar disso o rendimento é prejudicado então façam com precisão milimétrica usem o NYLON pois é o melhor pois tem pouquíssima absorção de líquidos.
    O MEU É QUASE IGUAL AO PERENDEV SÓ QUE MUDA É QUE PUS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS, CONTROLADOR DE CORRENTE E MUTO MAIS PODE SE DISER QUE TENHO UM APEQUENA USINA MAGNETELÉTRICA EM CASA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OK, Muito bom. Obrigado pelo seu depoimento e pelas dicas, colega!

      Excluir
    2. Prezado Sr. "Anônimo", pedi ao Sr. Orlando Fisher ajuda mas ele não respondeu (ele disse que combinou o motor magnético com eletro-imãs auto-alimentados) - vc disse que usou equipamentos eletrônicos (também sou técnico em eletrônica), penso que quanto mais pessoas saberem e se envolverem neste tipo de alternativa para geração de energia melhor, daí a necessidade de disseminarmos este conhecimento, poderia ajudar-me a montar um? Podemos postar dados pessoais para contato aqui? Obrigado desde já, no aguardo.

      Excluir
    3. pode me passar seu email? o meu é eugeniop488@gmail.com, estou muito interessado no seu projeto

      Excluir
  16. Meu ponto de vista é que devido a alguns afirmarem que esse motor funciona mesmo, inclusive conjugado com eletro-imãs auto-alimentados e circuitos eletrônicos.. penso que muito ainda pode ser aperfeiçoado, porém para vencer toda a força da política do capitalismo egoísta de nossos dias devemos pulverizar esse conhecimento ao máximo, descentralizá-lo, pois dizem os boatos que todos que sozinhos apresentam alguma boa idéia de energia limpa "some" junto com seu invento. O sistema operacional Linux foi assim, seu desenvolvedor deixou em código aberto e hoje o mundo todo usa e aperfeiçoa. Nesta empreita do motor magnético não devemos ter fins lucrativos, vamos disseminar e compartilhar todo e qualquer conhecimento e/ou experiência na área, vamos deixar disponível para que todo inconformado com este mundo injusto em que vivemos monte seu motor, vi até alguns dizerem que pode ser usado também no setor automotivo, já pensou? Se for verdade repito que esta tecnologia não pode ficar centralizada senão sumirá e/ou pouquíssimos ficarão sabendo e continuaremos dependendo desse sistema em que meia dúzia manda e domina em nosso planeta.. Aos que já obtiveram algum sucesso nesta idéia compartilhem toda informação necessária, um aqui e outro ali a probabilidade de mudanças não é muito grande mas quando todos se unem o mundo pode ser mudado..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. está certo!, imagine, se a consesionária de energia elétrica os políticos, a dilma aprovassem, este motor maginético, só teria benefícios, até certo ponto agora imagine se milhões de pessoas comessaçem a fazer o motor em grande escala e colocasem em seus quintais, quanto dinheiro, os empressários perderiam, se cada pessoa pagase 5 reais(ou menos) para eles de conta de luz, conserteza eles não permitiriam que isso acontesse-se, para eles, "eles só tem a perder".

      Excluir
    2. PENSO QUE VAI GOSTAR, SE LER ESTE TEXTO TODO:
      TÍTULO: SEM INTERVENÇÃO (VEJA BEM, AUTO MOVIMENTO) DE MÃOS HUMANAS:
      Isto esta profetizado noS LIVROS DOS EVANGELISTAS E NO apocalipse BY SÃO JOÃO, a queda da babilônia:
      pode me chamar de louco, (MAS E O LOUCO QUE TENTA VOAR COMO PASSARINHO? PODE COMPRAR UMA PASSAGEM NA TAM? É DEVIDO AO LOUCO QUE ACREDITOU QUE PODIA VOAR) mas eu já sonhei várias vez, sonhos simbólicos, tais como: Eu sonhava, que estava num grande, centro comercial de Brasília, (E não resido lá), estava a fazer compras, do que é hoje um Notebook, e nem existia (somente grandes empresas, banco etc usavam, "armários" para computar) quando sonhei, e quando, o prédio do shopping, estava desmoronando todo, e quando fugi da cidade, em um ônibus, usava um celular de pulso, e telefonava para parentes, que eu estava bem, e olha que nem existia os tais tijolão, os celulares analógicos. É isto a Babilônia (simbolo da riqueza e comercio) é o CAPITALISMO, QUE DESMORONA, igual no Evangelho, POR UMA PEDRA (O PODER, OU ELÉTRON DO CRISTO), PEQUENA PEDRA, QUE VAI CRESCENDO, E QUE ROLA A MONTANHA, LADEIRA A BAIXO, E ISTO SEM INTERVENÇÃO (VEJA BEM, AUTO MOVIMENTO), sem intervenção DE MÃOS HUMANAS, ROLA A MONTANHA (FORÇA GRAVITACIONAL, OU NATURAL), E DESTROÇA A ESTATUA IMAGEM DO NABUCODONOSOR (FEITA DE OURO, PRATA, FERRO, BRONZE E BARRO) EM QUE TODOS ERAM FORÇADOS A ADORAR, COMO SERVOS SUBMISSO, AJOELHANDO-SE, PROSTRANDO-SE... JÁ CHEGA NÉ? VAMOS MOVER A PEDRA, O ÍMÃ DE NEODÍMIO... E DESTROÇAR O CAPITALISMO! ! ! ! ! ! !

      Excluir
    3. Muito interessante o seu modo de ver a questão da energia livre, colega Jose Pinheiro. Estamos juntos! Abraços!

      Excluir
  17. O mais chato, é ver estas pessoas dizendo ''e verdade funciona, eu fiz um e está funcionando!" ai nos perguntamos "o que você usou? me ajuda nisso...tá certo?" e ninguém responde! não que eu esteja falando que o motor não funciona, até porque a malhioria diz que não funciona, sem fazer estou fazendo o meu, qualquer coisa se o meu funcionar vou voltar aqui e falar se funciona, que quiser ajuda eu responderei, vou começar amanhã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim como muitos, eu também acredito que seja possível realizar este feito, tendo em vista que é bastante complicado. Lendo, estudando e praticando, pude perceber que todo "segredo", está na blindagem, é isso mesmo, blindagem, todos que funcionam (motores magnéticos), tem esse quesito em comum, o fator primordial é do reentrada, anulando este ponto, é possível sim fazer este motor

      Excluir
  18. Prezado Felip Matheus, bom dia. Sou o "anônimo" que postou dia 17 de janeiro - "Meu ponto de vista.." (não sou o outro anônimo), hoje vou me identificar, visto que alguém concordou comigo. Também quero montar um motor magnético, e pretendo compartilhar informações, peço o mesmo de você e de outros que dizem já terem obtido sucesso. Sou técnico em eletrônica, vamos tentar mobilizar mais pessoas e compartilhar todo conhecimento que conseguirmos. Forte abraço..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, de minha parte, tudo o que eu tenho para compartilhar, da minha parca experiência, eu já compartilhei aqui. Além do mais, estou aqui, também encafifado com o protótipo que montei, com o que eu chamo de "forma irregular" como ele se comporta e, como já mencionei em comentários anteriores, com um monte de dúvidas, também, ainda. Mas sei que Deus me ajudará a esclarecê-las no momento certo.

      Excluir
    2. Bem, estou entrando hoje, postando meus pequenos comentários também. Observei que, alguns dos que estão descobrindo, não estão falando como o fizeram "egoísmo".
      Baixei muitos vídeos e algumas anotações, más não pude iniciar/comprar as peças por falta de grana.
      abraço.

      Excluir
  19. Luis Fernando Ferreira27 de janeiro de 2014 10:31

    Bom dia,

    Achei interessante o seu texto, estou precisando de algo do tipo.
    Preciso fazer ensaios de torque em motores e medir a velocidade, acho que com o freio magnético eu consigo, mas não entendo nada da parte mecânica.
    Você tem como me indicar algum tutorial de montagem detalhado?
    meu email é luisf_ferreiraa@hotmail.com, se puder me ajudar, agradeceria muito!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Luis Fernando: Não tem grandes complicações na mecânica. Para poder fazer os ensaios usando o freio magnético para simular carga, ou o motor tem uma ponta de eixo longa o bastante para acondicionar o freio, ou precisará de um acoplamento para prolongar o eixo. O diâmetro do eixo é importante e tem que ser compatível e o freio magnético deve ficar, ainda, um pouco afastado da carcaça do motor.

      Excluir
    2. Meu querido André Luis. Com relação a uma resposta anterior, a respeito do Mu-Metal.
      Ví o vídeo do hd, quando o operador retira o ímãn de neodímio entre os dois mu-metais.
      Ví também que pode-se aquecer(derreter) esse mu-metal para envolvê-lo ao íman.
      Sabe como fazer? Sabe dizer se podemos derreter esse mu-meta do hd? e
      Como é o processo ou tem alguma sugestão?
      Será que o Argentino envolve o íman antes de coloca-lo na roda de polietileno?
      Abraço do Wagner Mosca.(Dablio Natal)

      Excluir
    3. Como o Mu-metal é uma liga de níquel-ferro, composto de aproximadamente 77% de níquel, 16% de ferro, 5% de cobre e 2% de cromo e molibdênio (e é isso que lhe fornece a sua alta permeabilidade magnética notável), eu acho que é muito complicado pensar em re-fundí-lo, adequadamente, fora de um processo de carater industrial severo, pois, a temperatura necessária para fundir o molibdênio é, deveras, extremamente alta (2896 K ​(2623°C, ​4753°F), mesmo que, para manter a propriedade da liga, baste uma temperatura menor, para um ponto de fusão a 1454°C. Qualquer coisa acima de 800°C me parece um tanto complicado (e caro demais) para se pensar em se fazer em casa.

      Excluir
    4. Além do mais, Dablio, na operação de recobrir o imã de neodímio com o mu-metal, você corre o risco de "recozer" o imã, por suplantar a temperatura de curie dele, que não passa de míseros 350 °C. Aqui, neste linque, tem alguns fatos extra sobre o mu-metal: http://www.mumetal.com/mumetal_specifications.html

      Excluir
  20. Se alguém tiver um projeto e desejar me enviar por favor encaminhe no e-mail penajaca@hotmail.com.br.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho interesse no projeto.
      luisf_ferreiraa@hotmail.com
      Obrigado

      Excluir
    2. Saudações, também sou entusiasta e estou pesquisando muito sobre isso. Esse é um dos forums mais completos que já encontrei.
      Percebi que o objetivo é formar uma família e gostaria de participar dela.
      Tenho interesse no projeto.
      nmajunior@gmail.com
      Obrigado!

      Excluir
    3. tenho um projeto um prototipo para fazer se tem meios finançeiros eu sou de PORTUGAL o meu E MAIL e josereis2472@gmail.com o prototipo e um hibrido nao tenho dinheiro para o fazer se aranjar o dinheiro ficamos milionarios e resolvemos o problema da energia mundial e a puluiçao do planeta espero pela sua resposta JOSE PEREIRA a energia utilizada no prototipo e a quantica imanes de neodemio,OBRIGADO TODOS OS INTERESSADOS DESTE BLOG CONTACTEM ME NAO PROCUREM MAIS JA DESCUBRI ESSA ENERGIA QUE TODOS PROCURAO AJUDEM ME A POLA EM PRATICA JA TEINHO 49 ANOS E NAO QUERO ESPERAR MAIS.

      Excluir
    4. Caro Jose Pereira, va' estudar, e deixe de falar bobagens!

      Excluir
  21. Olá amigos!

    Meu nome é Augusto Teoener e estou aqui porque quero construir um espaço para que idéias como estas e outras possam se tornar realidade.

    Em breve eu e minha equipe daremos mais um passo para a realização deste sonho, com a fundação da Instituição Union que visa unir pessoas como nós, para a construção de soluções na busca de qualidade de vida de forma ecológica e sustentável.

    Nosso objetivo é unir pessoas e conseguir investimentos para o desenvolvimento destas soluções.

    Vou deixar o meu e-mail e quem estiver interessado em fazer parte, me envie o seu contato.
    augusto.teoener@gmail.com

    "Union, uma visão de futuro, para mudar o presente"
    Augusto Teoener

    ResponderExcluir
  22. Boa noite estou aqui por que quero colaborar com o projeto.. Sou estudante de engenharia e programador de software 2d e 3d, me coloco a disposição para fazer o esquema de modelagem e até mesmo simulações por computador, acredito sim que esse é um conhecimento que deve ser compartilhado. Estou iniciando essa jornada a pouco tempo, conforme eu for avançando vou postar aqui os resultados..

    ResponderExcluir
  23. Bom dia a todos! Assim como muitos, eu também acredito que seja possível realizar este feito, tendo em vista que é bastante complicado. Lendo, estudando e praticando, pude perceber que todo "segredo", está na blindagem, é isso mesmo, blindagem, todos que funcionam (motores magnéticos), tem esse quesito em comum, o fator primordial é do reentrada, anulando este ponto, é possível sim fazer esta motor, espero que tenham me entendido!!!!

    ResponderExcluir
  24. Prezado Maikon Xavier, bom dia. Comprei alguns imãs de neodmío tamanho 10 x 4mm formato botão que enfileirados podem formar um bastão, mas não consegui ainda montar um motor. Você disse que o segredo está na blindagem, já montou algum motor que funcionou bem? Caso afirmativo poderia tornar público e nos "ensinar" informando detalhes e dimensões? Obrigado..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom dia! Eu também comprei estes imãs, fiz vários testes, porém sem muitos resultados eficazes, então fui em busca de informação, e me deparei com outros blogs, e em um desses, focalizaram a blindagem magnética, é complicado fazer estes procedimentos, e os materiais são caros, más com chapa de alumínio e ferro, é capaz de fazer uma blindagem, não tão eficaz, más melhora bastante o resultado. Não tenho muito tempo, pois trabalho e estudo, más sempre que me resta um tempinho me dedico a esse caso. Outra fator, a angulação deve estar entre 45 e 50 graus, fora isso, os imãs se anulam, e assim fica impossível o movimento, sobre dimensões, varia bastante, dependendo da quantidade de imãs usados, é bom usar materiais leves, e bons rolamentos, assim haverá menos atrito. Estou disposto a compartilhar conhecimento, assim , como queria também ter mais respostas, más acredito que estamos no caminho certo, e que este assunto não é bobagem, é que é sim viável.

      Excluir
  25. Prezado Maikon, bom dia de novo.. muito obrigado pelo retorno rápido, aqui mesmo neste blog tem alguns desenhos de protótipo, porém prefiro seguir seus conselhos. Outros cidadãos de boa vontade ofereceram ajuda para montagem inclusive fazendo desenhos técnicos, porém penso que precisamos destes detalhes que mencionou para que o motor funcione satisfatoriamente.. Você teria como fazer um desenho técnico e eu correria atrás de materiais para executar o projeto de um pequeno motor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa tarde!
      Irei providenciar, assim que for possível, entro em contato, e posto para todos!

      Excluir
  26. André Luis Lenz, achei muito interessante o seu blog! Muito instrutivo e didático! Eu sou leigo na parte que envolve cálculos. Sou estudante de medicina, não faço nem nunca fiz curso ou faculdade de engenharia. Porém na parte teórica do assunto, sobre o comportamento dos imãs e sobre a construção desses motores magnéticos "perpétuos", eu creio ter um bom conhecimento. Vou contar um pouco agora da minha história: Creio que a mais ou menos uns 10 anos atrás, quando eu tinha uns 14 para 15 anos, eu me perguntava o porque de não montarem um motor feito de imãs, porém eu era jovem e acabei não me importando muito com o assunto... Mas desde uns 2 anos atrás, eu voltei com essa idéia firma na cabeça, de que seria possível motar um motor magnético. Então, eu sempre vim buscando artigos, videos e textos sobre o assunto. Já assisti milhares de videos no youtube, dizendo ser possível a montagem e execução dos motores magnéticos, e me iludi muito com tantos vídeos impressionantes dos tais motores em funcionamento, porém com o desenvolver do meu conhecimento comecei a descobrir que praticamente todos eram falsos, pois era perceptível que no modo de montagem, aqueles motores nunca realizariam um trabalho, e que a maioria entrava em funcionamento por pilhas escondidas, ou até mesmo jatos de ar, para fazer com que os mesmos funcionassem. Até que um dia eu assisti o vídeo deste argentino que construiu o motor Torian, e aparentemente era completamente funcional! Aquilo me deixou muito contente ( infelizmente eu nunca mais encontrei o video novamente, e lhe peço que se você souber ou alguém tiver o link do video, que envie a mim...). Então desde esse vídeo eu fiquei, e fico, "matutando" sobre o assunto, e ja elaborei milhares de projetos ( todos os projetos estão na minha mente, nada passado para o papel...) buscando a funcionalidade do motor, e parei num simples mas super complexo problema, a anulação das forças de repulsão entre os imãs, que impediam que o motor funcionasse. Então eu tive que vasculhar a internet por soluções para esse problema, e descobri a blindagem magnética, e vi que a blindagem em si era simples, porém um pouco complexa na parte de confecção. Então eu estou num projeto muito simples e modesto tentando criar um gerador a partir de um cooler de computador e estou apenas empacado nessa fase de "start" do gerador. consegui transformar o cooler em um alternador, porem faze-lo trabalhar utilizando a força dos imãs tem sido um grande problema. Espero conseguir resolver o problema da blindagem dos imãs e finalmente fazer este projeto funcionar! Se algum dia eu conseguir, compartilho a minha idéia ( que na minha cabeça é possível) do gerador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastante interessante a sua experiência, Dide. Lança uma luz sobre questões a serem consideradas que não foram devidamente abordadas nesta postagem. Em nome de todos os leitores, eu agradeço muito você compartilha-la conosco.

      Excluir
  27. Prezado André, tenho uma tese sobre esse assunto, e para que a mesma possa ser analisada por pessoas mais preparadas que eu, solicitei uma patente, e a compartilhei nesse link, para quem tiver a paciência de ler
    https://www.dropbox.com/sh/tv0t4n6xtegqh38/-BDAB1-714

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, muito bom. Novidades! Obrigado por compartilhar isso conosco, José Masson. Você está produzindo um movimento linear com alternação cíclica de sentido e convertendo-o para movimento rotativo. Bem, eu preciso de um tempo para fazer um estudo mais atento do conteúdo do seu material e depois tentarei realizar alguns testes e ensaios, antes de comentar. Então, voltamos a nos falar. RECOMENDO A TODOS QUE NOS ACOMPANHAM QUE APRECIEM TAMBÉM O MATERIAL contido no linque do José Masson: https://www.dropbox.com/sh/tv0t4n6xtegqh38/-BDAB1-714

      Excluir
  28. Obrigado por responder. Acredito que devemos focar o problema sobre outra ótica. É fato que sempre ocorrem perdas nas transformações de energia de 1 forma em outra, então não devemos tentar obter ganhos de energia através da transformação, mas sim através de 1 fonte potencial perpétua, no caso da minha invenção, link do dopbox acima ou aqui https://www.dropbox.com/sh/tv0t4n6xtegqh38/-BDAB1-714 , a fonte de energia potencial perpétua é o iman permanente. Se analisarmos o problema por esse conceito, verá que uma hidrelétrica já é um moto-perpétuo, as águas que movimentam as turbinas são de alguma forma, através de evaporação convertidas em chuvas que novamente irão encher os reservatórios para nova geração, portanto a fonte potencial perpétua do planeta é o Sol. Há ainda quem conteste isso, argumentando que mesmo o Sol não é perpétuo e que um dia irá deixar de existir. Isso parece ser consenso entre os cientistas, porém ele estará aí pelos próximos 6 bilhões de anos, o que é perpétuo para nossa escala de tempo. Outro exemplo recente é o da usina solar térmica, que converte o calor do sol, refletido por espelhos para aquecimento de água em circuito fechado, gerando vapor e produzindo eletricidade, link http://gizmodo.uol.com.br/maior-usina-solar-mundo/
    Achei a ideia muito genial, aliás o Brasil poderia adotá-la de imediato, afinal é uma tecnologia barata e já dominada, e também acredito que a construção da usina seja de baixo custo, além de poder ser construída perto do centro consumidor evitando perdas energéticas e gastos com linhas de transmissão.(por que não vi até agora especialistas em energia defendendo isso!!!). Voltando ao assunto da invenção, a razão pela qual sugiro a conversão do movimento alternativo em rotativo é para evitar a perda pelo efeito da força contra-eletromotriz, se o iman permanente for colocado em forma circular para os eletro-iman reversível girar em torno desse a máquina sofrerá a ação da força contra-eletromotriz. O que vem a ser essa força? Qualquer circuito bobinado não magnetizado rodando em um campo magnético sofre ação de uma força contrária ao sento do movimento, que é de repulsão na aproximação e de atração ao se afastar, então como apenas alguns eletro-imas rotativo dever estar magnetizados, em diferentes momentos, caso contrário não há movimento, os que não estiverem imantados naquele momento atuarão como freio da máquina. A mesmo fenômeno físico que serviria para geração de eletricidade, também serve para frear a máquina, já no movimento alternativo isso não acontece, pois os eletro-imas estarão sempre magnetizados, ora em um sentido, ora em outro.

    ResponderExcluir
  29. Bom dia a todos. Minha proposta continua a de nos unirmos e tornarmos público qualquer conhecimento que obtivermos, mas não apenas o conhecimento teórico, e sim, de publicar projetos em detalhes para construção de um motor que funcione satisfatoriamente, somente se descentralizarmos este conhecimento / projeto conseguiremos vencer a política que não tem interesse que isto funcione. Já foi falado aqui que precisamos blindar magneticamente o motor e colocar eletro-imãs auto-alimentados... E aí, alguém que já teve sucesso está disposto a pulverizar esta proposta?

    ResponderExcluir
  30. Rapaz eu estou pesquisando sobre o assunto, sou totalmente leigo em energias e eletricidade, mas eu vou sim estudar muito mais e tenho certeza que Tomas Edison que criou a luz errou muitas vezes e o que conseguiu ... a luz não e;;;; pois eu sou um cara que gosta de coisas consideradas impossíveis.

    ResponderExcluir
  31. Estou disposto a investir nesta experiencia, já tenho o inversor de tenção de 12v para 220v, 1500w. o painel de controle de carga, Bateria de carro, um leve e pequeno gerador de 12v. agora só falta os imãs para o motor magnético mais ainda estou pesquisando não sei quais imãs devo comprar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, colega, se precisa de uma sugestão, eu usei 3 peças de imãs de formato disco cilíndrico de Ø = 6 mm x 6 mm, alojadas em série,.em cada receptáculo (cada furo do disco do rotor). Eu uso 15 receptáculos por disco de rotor e, no conjunto do motor, 3 discos no total, o que perfaz 135 peças de imãs (disco cilíndrico de Ø = 6 mm x 6 mm, do tipo N42, que é, atualmente, a melhor relação custo benefício). Cada uma dessas peças de imã sai, atualmente, em torno de R$ 1,50, comprando nesta quantidade.

      Excluir
    2. Muito obrigado por esta mim ajudando. Sou um pouco leigo sobre os imãs, acho que depois volto com mais algumas duvidas rsrs. Grato Abs.

      Excluir
  32. Ola André Luis, boa noite, Tenho uma duvida sobre a rotação do motor magnético, se o mesmo gira com a velocidade suficiente para girar o eixo de um gerador pequeno de 12v, os imãs descrito por você tem essa força? Obrigado por ajudar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sendo direto e reto: sim. Porém, tome em consideração que a rotação do "meu motor" sofre variações bruscas com a variação do conjugado resistente (variação da carga aplicada ao eixo do motor). O conjugado resistente oferecido pelo gerador pode variar com a variação da corrente que ele estiver fornecendo a carga elétrica que ele alimenta. Portanto, se a carga do gerador variar, o sistema precisa estar apto a lidar com variações bruscas da velocidade. Porém, para conjugado resistente constante, sim, a velocidade é constante e a máquina tem um bom torque.

      Excluir
  33. Prezado André Luis Lenz, bom dia. Disseram aqui no fórum que tem que se usar blindagem magnética para o motor funcionar e talvez eletro-imãs auto-alimentados, você teve que os usar? Seria possível você postar seu projeto em detalhes para que possamos também construir um motor? Obrigado..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu, até aqui, não utilizei nem blindagens magnéticas, nem eletroímãs auto-alimentados (mas eu vi que o Torian usava eletroímãs auto-alimentados e ainda tinha a sofisticação de empregar uma (apenas uma) das três hastes roscadas de fixação do estator feita de metal não-magnético). Todavia, considere que eu ainda não obtive sucesso quanto a estabilidade da rotação em função da variação de torque. No meu caso, se o motor já estiver previamente girando com uma certa carga no seu eixo, a uma certa velocidade, se essa carga varia, a velocidade também varia e, pior, ela varia em "escalões" (coisa que eu ainda não sei explicar o porquê). Outra coisa, eu também não me preocupei, ainda, com uma forma de prover "partida automática" para o motor magnético. Tdo no que eu fiz foi copiar o "parendev puro" a fim de tentar determinar as leis físicas que o regem (coisa que acredito que ninguém havia feito ou fez, ainda) e é o que eu tenho feito (sem pressa alguma) e, sem, de fato, nenhuma ajuda. Então eu descobri que, se "eu der uma força partida", a coisa roda continuamente e ponto final, não há nada de detalhes ocultos que não apareçam na postagem.

      Excluir
  34. Ola Galera, fiz a compra de 50 Pcs de imãs N52 de 6mm x 8mm. Estou aguardando pelos correios, a intenção é desenvolver um motor magnético, o seu eixo girará um gerador de 12V. usando um inversor de carga, podemos obter 220V. Partindo deste principio, acredito que conseguiremos energia limpa. VOLTA A PUBLICAR NOVAMENTE QUANDO OS IMÃS CHEGAREM. ainda tenho duvidas quanto a montagem do motor, mais acredito que este tipo de energia é sim possível. também sei que isso envolve grandes interesses de grandes magnatas de grandes empresas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. N48, formato cilíndrico 6 mm x 6 mm, em Novembro/2012 eu paguei R$ 2,04 a peça, para um total de 160 peças compradas (foi a segunda e última vez que eu comprei imãs de neodímio). Pergunta: quanto está saindo a peça, para você, neste seu atual caso de aquisição??

      Excluir
    2. Ola André Luis Lenz, sobre os preços o que acontece, o meu lance foi o seguinte, pesquisei muito. A melhor opção que encontrei foi importação, ou seja, estou comprando direto da china, livre de impostos e atravessadores, neste caso as 50 Pcs N52 6mm por 8mm cilindro esta saindo por R$ 46,00

      Excluir
    3. Bem, colega, eu também compro coisinha da China direto e, quando elas desembarcam em "território nacional", acabam passando para as mãos dos "correios oficiais" e, ai, a minha querida Receita Federal, tributa, de qualquer jeito, mesmo sem a olhar o que tem dentro. Mas a notícia boa: no geral, tem compensado (comprando coisas caras, coisas pequenas e leves é o que mais compensa) e eu continuo comprando assim, até porquê, são coisas que não se consegue encontrar fabricantes neste pobre país (que pensa que é rico) desindustrializado. Obrigado pela informação e, boa sorte.

      Excluir
  35. Estou vendo que este assunto está se estendendo, como diz o colega, "ONIXTECLOGIA", todos nós deveríamos compartilhar projetos, pois assim, teríamos mais chance de elaborarmos alguma coisa, tenho muitas ideias, más é apenas teoria, pelo menos rascunhos daria para ter alguma noção a mais, e assim, quem sabe, conseguirmos montar este tão sonhado motor, foi abordado em muitos comentários, a blindagem magnética, e faz todo sentido, más alguém sabe onde encontrar esse tipo de material? se souber, poderia dizer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O (pouco) que eu sei sobre o MU-metal:

      Mu-metálico é uma liga de níquel - ferro, composto por cerca de 77% de níquel, 16% de ferro, 5% de cobre e 2% de crômio ou de molibdênio, que é notável pela sua elevada permeabilidade magnética . A elevada permeabilidade magnética do mu-metal o torna útil para blindagem contra campos magnéticos estáticos ou de baixas frequências. O nome veio das letra grega mu ( μ ), que é usualmente empregado para representar a permeabilidade magnética em fórmulas de física e engenharia. Um número de diferentes formulações práprias da liga são vendidos sob nomes comerciais como Mumetal, Mumetall e Mumetal2 .

      Mu-metais normalmente tem valores de permeabilidade relativas de 80.000-100.000 comparado a vários milhares de aço comum. É um material magnético "macio"; Tem baixa anisotropia magnética e magnetostricção (propriedade dos materiais ferromagnéticos que faz com que eles mudem sua forma ou dimensões durante o processo de magnetização), dando-lhe uma baixa coercividade para que ele sature, mesmo sob baixos campos magnéticos. Isto dá baixas perdas por histerese, quando usado em circuitos magnéticos CA. Outras ligas de alta permeabilidade a base de níquel-ferro, como permalloy têm propriedades magnéticas semelhantes; a vantagem do mu-metal é que ele é mais dúctil (capacidade de um material sólido de se deformar sob estresses de tração) e viável (fácil de ser trabalhado), permitindo-lhe ser facilmente formado em folhas finas necessárias para a blindagem.

      Objetos de Mu-metal exigem um tratamento térmico depois de estarem em forma final - recozimento em um campo magnético em atmosfera de hidrogênio, que alegadamente aumenta a permeabilidade magnética a cerca de 40 vezes. O recozimento altera o material de estrutura cristalina, alinhando os grãos e removendo algumas impurezas, especialmente de carbono, que obstruem o livre movimento dos limites dos domínios magnéticos. Dobras ou choques mecânicos, depois do recozimento pode perturbar o alinhamento de grãos do material, levando a uma queda na permeabilidade das áreas afetadas, que podem ser restaurados, repetindo a etapa de recozimento em hidrogênio.

      Algo que precisa ficar claro é que uma peça de Mu-metal não provê isolamento magnético por bloquear a produção linha de força de um imã mas, sim, por atraí-las, sobremaneira, para si própria. A elevada permeabilidade do mu-metal proporciona uma baixa relutância para caminho do fluxo magnético, que conduz à sua utilização na blindagem contra campos magnéticos estáticos ou que variam lentamente.

      Eu trabalhei no passado com permalloy, e era fabricado em uma antiga empresa próxima ao Shopping Morumbi em São Paulo, cujo carro chefe, na época, eram os núcleos de ferrite, principalmente de os formato toroidal, mas nunca, ainda, trabalhei com Mu-metal e, aquela empresa (que eu sei que tenho catálogos em papel no meio do meu acervo), sei que não existe mais ali. Eu creio que como aquele, também outros devem ter encerrado atividade de fabrico no Brasil, em favor da importação.

      Veja os vídeos demonstrativos (baseado em uma peça típica empregada nos HDs):

      https://www.youtube.com/watch?v=6TOwxIKa850

      https://www.youtube.com/watch?v=3aVxB9oXcEc

      Excluir
    2. bom dia André, você saberia onde posso comprar Mu-metal ou permalloy? você acha que usando este esquema de blindagem seria melhor?

      Excluir
    3. A empresa que eu mencionei na minha resposta anterior é a THORNTON ELETRÔNICA LTDA, que não se encontra mais em SP - Capital e foi para o interior (Nova Vinhedo, em Vinhedo) e, me parece que não trabalha mais com permalloy. Não conheço outra revenda local, muito menos de Mu-metal. Creio que você terá que importar direto.

      Excluir
    4. isto pode ser feito com chapa de ferro ou zinco, ou aço inoxidável, faça o teste com este outro materiais, deixa o Mu-metal, para depois, pois temos mais vantagens, se conseguir com outros materiais com menos condução magnética e depois com muito mais eficiência com dito Mu-metal. Outra coisa MUITO LEGAL, THIS IS COOL: But I don't não vejo aqui no blog o "nosso seminário", para o progresso desta tecnologia, é o conceito de "transistor magnético" o Pai dos Híbridos, os Eletro/Magnéticos, bem antigo, agora aperfeiçoados, por Eng. e tec. em Eletrônica, SENSACIONAL, UMA MISTURA DE TRANSFORMADOR COM E ÍMÃS DE NEODÍMIO, E OU UMA ESPÉCIE DE TRANSSISTOR MAGNÉTICO, POIS AO SOMAR O CAMPO DO TRANSFORMADOR COM COM O DOS ÍMÃS, ESTE CAMPO É AMPLIFICADO, EM UM LOOP (8 NA HORIZONTAL - NÃO DEITADO, POIS NÃO ESTA EM REPOUSO RSSS) e que encontramos aqui neste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=cTowOHDeB5Y

      Excluir
    5. Eu vou procurar estudar o Overunity Magnet Transformer, colega, procurando outras fontes, também. O inglês do áudio deste vídeo que você sugere está difícil para mim atingir entender.

      Excluir
    6. Olá amigos pesquisadores, Olá André Luis Lenz.
      Sobre o caso de blindagem do Neodímio, achei um vídeo interessante, e como infelizmente ainda reúno recursos para compra dos imãs. Gostaria de saber se você teria como realizar um pequeno ensaio, ou até outro colega do grupo que já possua os imãs, para que saibamos se é funcional ou não.
      O vídeo mostra uma pessoa usando uma placa de alumínio e uma de ferro para envolver o imã, criando assim a blindagem.
      Segue o Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=14ayyu9PVSI
      Obrigado, abçs.

      Excluir
    7. Na falta do Permalloy (liga de níquel - ferro magnético com teor de cerca de 20% de ferro e 80% de níquel) ou do Mu-metal (desenvolvido pela adição de "uma dose" de cobre e cromo ao permalloy), tá ai a dica, de como se virar.

      Mu-metal em 3 vídeos:

      https://www.youtube.com/watch?v=6TOwxIKa850
      https://www.youtube.com/watch?v=OHEzD7uP6hI
      https://www.youtube.com/watch?v=Q1oszJuOqdA

      Abraço a todo, boas festas e feliz ano novo!

      Excluir
  36. Prezado "Anônimo", bom dia. Pois é, falar é fácil e bonito, desafio aqui alguém que disse ter tido sucesso em montar um motor magnético que funcione satisfatoriamente que poste o projeto, deixemos de ser mesquinhos, se quisermos mudar um pouco este mundo corrupto em que vivemos devemos deixar um pouco o objetivo financeiro e sim ajudar a humanidade progredir e para que todos tenham uma vida mais digna sem tantas desigualdades sociais, financeiras, etc.. Diminuir a influência dessa meia dúzia que manda e desmanda no mundo, ou nos unimos ou quem quiser ficar com "esta idéia' apenas para si vai acabar "sumindo" juntamente com "seu motor" (...) Sem falar que o nosso planeta está pedindo socorro já há algum tempo.. Se eu tivesse um pouco mais de influência começaria um movimento em nosso país, onde reina atualmente a corrupção e impunidade, precisamos desesperadamente de reformas: política, leis criminais, e, no assunto em que estamos: outras formas de energia - limpa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom dia, faço de suas palavras as minhas, é fácil falar que fez, que funciona, más provar que é bom, ninguém prova, eu também acredito que seja possível, más queria provas concretas, projetos, esboços, o que seja, assim, mudaríamos o mundo pra melhor, imagine, se todos realmente compartilharem suas experiencias, não adianta nada, criar algo tão incrível, e num dar em nada, morrer junto com quem criou, já imaginou, se Tesla, tivesse deixado tudo guardado, tudo em segredo?

      Excluir
  37. olá André!
    li todo o conteúdo desta pagina, inclusive os comentários, estou disposto a encarar esta ideia, e tentar construir este motor, vc acha que com o conteúdo descrito nesta pagina, é possível essa construção?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, colega. Creio que as informações sejam suficientes para, ao menos, você construir o mesmo mecanismo que eu construí e que tem me permitido fazer testes e ensaios e, dai em diante, evoluir a sua pesquisa.

      Excluir
  38. Os motores "magnéticos" são uma farsa, um embuste e só vigaristas de internet é que insistem em preservar o embuste. Leia aqui porque não funcionam. Este tipo de ideias "inovadoras" apenas beneficia a Petrobras e o cartel das sete irmãs, elas agradecem que os charlatães continuem a sua "cruzada", adiciona ruído ao discurso científico e tira as atenções ao válido discurso para atacar a sua hegemonia: transportes públicos, bicicletas, motos elétricas, trem, bonde, são tudo meios muito mais eficientes para transportar pessoas. Continuem, a Petrobras agradece!

    ResponderExcluir
  39. Sr. João Pimentel Ferreira, bom dia! Mesmo sendo desalentadora, a sua opinião é (e será) sempre bem vinda aqui. Todavia, devo informar que:

    1 - No que se refere a leitura sugerida para se concluir que máquinas puramente magnética devem ser, inexoravelmente, consideradas impossíveis, O LINQUE NÃO ESTÁ FUNCIONANDO (nem clicando por aqui, nem clicando pelo e-mail de alerta de comentário).

    2- Pessoalmente, não creio que tal discussão FAVOREÇA A PETROBRAS (ou qualquer petrolífera). Toda discussão sobre formas de mobilidade que não usem COMBUSTÍVEIS (sejam estes fósseis ou sejam os "renováveis", como o etanol) NÃO FAVORECE A PETROBRAS MAS, ao contrário, a coloca na berlinda (não se esquecendo de que, foram os nossos próprios governantes que colocaram nas mão da Petrobras, importantes ferramentas de controle, para que ela possa travar, como vem fazendo, o desenvolvimento da mobilidade elétrica no país).

    saudações, até breve.

    ResponderExcluir
  40. João Pimentel Ferreira,
    O artigo não fala em aproveitar "Free Energy", energia infinita ou algo assim. Pelo simples fato de o ímã perder sua magnetização ao longo da vida, não se trata de energia vinda do nada e sim de energia armazenada na estruturação magnética dos ímãs permanentes.

    Então não tem nada no artigo contra as Leis da termodinâmica.

    Sua revolta não vem desqualificar as afirmações, pois mostrou num comentário mais antigo um texto péssimo do "veraveritas", e depois um link que não funciona. Sugiro que use seus profundos conhecimentos para argumentar feito gente e esclarecer possíveis conclusões erradas, ajudando.

    Contribua, ninguém aqui está tentando acabar com seu emprego nem te desacreditar. E realmente tem gente aí mundo afora que consegue resultados que talvez espantem você.

    Ou você acha que do alto dos seus menos de um século de vida você acha que já viu tudo??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário, Sr. Ricardo Di Lucia (pelo primeiro parágrafo dele, magistral! ... e pelo apoio, em geral).

      Excluir
  41. Joao, certamente vc não fez nenhum teste, por mínimo que seja. A simples geração perpétua de movimento continuo e giratorio já é suficiente para comprovar que o motor magnético é totalmente plausível. Só precisa (precisava) ser ampliado a partir do experimento inicial. E para isso sugiro que vc abra sua mente e tente ealizar em sua residencia a pequena experiencia com um cooler de computador e quatro Imãs. Eu fiz e funcionou perfeitamente, continuamente e só para quando se retira um dos Imãs. Se neste experimento não tiver nenhuma alma movimentando o cooler, então é física comprovada!!! Faça isso e veja por vc mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, boa noite!
      você teria como disponibilizar este seu feito, com vídeo, ou até mesmo com foto?
      não estou duvidando de sua palavra, más muitos falam que fazem isso e aquilo, e ninguém prova nada!
      estudo este assunto á algum tempo, e vejo muitos falarem que tiveram resultados satisfatórios, más não divulgam de forma concreta, esses experimentos, e assim colocam um ponto de interrogação, será mesmo que é realmente possível?

      Excluir
    2. Senhor Anônimo (do comentário/resposta logo acima). A pergunta correta é: Será que é mesmo sustentável e viável economicamente?

      Creio que você deva estar fazendo alguma confusão quando afirma que eu esteja entre os que "fazem isso e aquilo ... que tiveram resultados satisfatórios". Se eu tivesse, de fato, tido apenas resultados realmente satisfatórios, tais quais eu realmente os considere satisfatórios, eu sequer estaria aqui, te respondendo. Provavelmente por não ter mais tempo, pois, sinceramente, eu estaria correndo atrás dos meus interesses pessoais quanto a isso.

      Os problemas e desafios que eu encontrei (e tenho encontrado) nos meus ensaios, estão quase todos descritos aqui mesmo, parte na própria postagem, mas a maioria nos meus diversos comentários anteriores. É só procurá-los, pois eu não pretendo ficar a repeti-los indefinidamente, até que encontre realmente alguma boa novidade.

      Também não vou colocar nada de novidade sobre o que eu ainda tenho feito e farei, sem que ela seja algo realmente considerável e, não tenha dúvidas, sempre alguns passos atrás de onde eu realmente estiver. Esse é um direito que eu me reservo, mesmo eu sendo um ativo compartilhador de conhecimento.

      Quanto a vídeos de máquinas rodando, o youtube tem vários, gratuitos, mas eu prefiro tentar chegar a algumas fórmulas sobre propriedades físicas e geométricas do que fazer vídeos.

      Numa coisa, você está absolutamente certo, quanto os pontos de interrogação que se colocam na minha frente. Todavia, eles não são suficientes para me fazer desistir de continuar pesquisando e ensaiando, pois isso é feito com a minha própria disposição, tempo e dinheiro.

      Não me leve a mal, pois eu busquei apenas ser realista e sincero contigo.

      Excluir
  42. Boa noite.

    Estou desenvolvendo o meu trabalho de conclusão de curso (TCC) e estou tendo muita dificuldade. Sou estudante do curso tecnólogo em Automação Industrial, no Instituto Federal de Tecnologia de Guarulhos (IFSP). O meu tema é sobre motores magnéticos e por isso gostaria de te pedir ajuda.

    Caso tenha interesse em me ajudar, entre em contato comigo através do seguinte e-mail: higinio.bulnes@hotmail.com

    Muito obrigado. Conto com a sua ajuda.

    Higinio Bulnes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por motivo pessoais e de força maior, isso infelizmente não será possível, amigo!

      Excluir
  43. Sou leigo no assunto, verdade ou não to nem ai, so sei que vou fazer essa jossa rsrsrs!!! gostaria de saber, quatos imas foram usados no rotor e estator, vi um link aqui com uma imagem em pdf, que sriam 31 no rotor e 31 no rotator, é isso mesmo? vi em um site imãs em forma cilindrica 32mm x 6mm sera que vão servir?
    Desculpa minha ignorancia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa se desculpar por ignorância alguma, Luciel: nenhum de nós nasce sabendo coisa alguma, e mesmo os que sabem muito, ainda sabem pouco. Eu também tenho usado imãs de formato cilíndrico, sim, me parecem bastante adequados.

      Se o seu estator e rotor for de algum material plástico, como os que eu tenho usado nos meus experimentos, você precisará desenvolver algumas boas noções de mecânica e resistência de materiais, para definir diâmetros dessas peças e espessuras de chapa para o feitio delas, para que, após os orifícios serem usinados ao longo das bordas delas (borda interna no estator e externa do rotor), os imãs possam ser alojados (encaixados) ali, nestes orifícios, e ficarem firmes sem que a peça se quebre facilmente, mesmo quando se movimentar. Também os imãs não podem ficar firmes demais a ponto de não saírem mais dali, dos orifícios, caso você precise desmontar (sugiro que você veja os detalhes interessantes da peça que está nas mão do Michael J. Brady, bem no final da postagem do artigo, e veja que os orifícios foram estendidos até vazarem na superfície do rotor, de modo a se poder sacar os imãs dos orifícios, por se introduzir alguma ferramenta-haste por ali)

      Eu mesmo não fiz com 31 orifícios / imãs, eu fiz com 30 (mas, na verdade, associei dos imãs de comprimentos menores a cada orifício). A máquina, depois de montada, precisa de partida manual, ou de um artifício envolvendo o acoplamento (alinhamento) rotor-estator, para partir. Boa sorte!

      Excluir
    2. Muito obrigado pelas dicas André!
      postarei aqui meus experimentos.

      Excluir
  44. Olá pessoal...! estou tentando a meses com diversas configurações..( medidas de imãs ... quantidades... de imãs tamanho de rotores ... quantidade de rotores...s....estratores... blindagem....etc...) não consegui em nenhum momento que o motor vira-se no eixo.
    Alguem serio ja conseguiu que o motor virasse uma vez se quer ? caso tenho sucesso porque nao publica um filme? ja que todos sao falsos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque o colega não posta desenhos do seu último projeto para podermos tentar avaliar onde o amigo possa estar errando! (ou será que o colega está tentando montar uma maquina sem elaborar projeto algum, na orelhada, pensando que é guru?!?) Acredite: de nada valerá tanta SERIEDADE, se não tiver a devida NOÇÃO!

      Excluir
    2. Olá André... bom dia ...! qual o email que mando o projeto e fotos? temos projeto prototipo etc


      Excluir
  45. Eu não consigo entender porque quem já disse que conseguiu fazer um motor girar satisfatoriamente não posta isso aqui em detalhes. Será que querem segurar o conhecimento apenas para si com fim lucrativo? Por gentileza Sr. Luiz Claudio ou quem o tiver, envie para mim também projeto e fotos: apcamargo@gmail.com - pois comprei imãs de neodímio e fiz alguns testes mas não consegui fazer funcionar, mesmo continuando a acreditar, todos que dizem ter conseguido mas não publicam nada e apenas afirmam que dá certo dão margem a todos que condenam esta idéia. Muito obrigado e sucesso a todos nós para que possamos ajudar a sustentar nosso planeta e pensar mais numa vida mais digna e igualitária a todos os seres humanos e menos em dinheiro e proveito próprio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá onixtecnologia.... estou no mesmo dilema que vc , já fiz vários testes inúmeros projetos e não consegui se quer uma volta completa no meu motor . vou colocar os projetos nesse blog. amanha vou copiar em um pen drive e coloca-lo aqui.
      o meu não deu certo mais continuo testando, somos em4 engenheiros. 3 mecanicos e um eletrico, estamos apanhando demais. vale apena lembrar que nos unimos uma vez por semana , a mais de 2 anos.

      Excluir
    2. Não consigo colocar fotos e o projeto aqui no blog.

      Excluir
  46. Prezado Luiz Claudio, obrigado por responder. Se quiser envie para mim seus arquivos que coloco para todos verem em meu site.. já tentou colocar blindagem nos imãs para que não haja interferência um do lado do outro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mandei no seu email contatos@onixtecnologia os projetos e fotos é grande o arquivo

      Excluir
  47. Ola. O principio da ressonancia magnetica é congelar os imas e assim obter maior forca magnetica. Esse procedimento esta correto? É possivel congelar esses imas e fazer com que tenhamoa mais força no gerador perpetuo?

    ResponderExcluir
  48. Me explica esse video https://www.youtube.com/watch?v=epLOEaoPMFU

    ResponderExcluir
  49. O motor magnético é uma realidade, no japão já estão vendendo veículos com motor magnético.
    https://www.youtube.com/watch?v=Hs4GXH5Q3Rk
    https://www.youtube.com/watch?v=9mHTPjg_As0

    ResponderExcluir
  50. Caro Andre Luiz,
    Li tudo e todos os comentários feitos aqui até o momento, posso ser leigo em fisica, mas não sou tolo, para perceber que esse João Pimentel Ferreira vem em vários sites com o mesmo discurso, desestimulando qulquer pesquisas, e nesse discurso sempre diz petrobras, embuste e farsa, olha estou quase tendo certeza que quem é uma farsa é ele - e outra tentar, ousar é um custo pessoal, porque tem ele tanto interesse em desestimular pesquisas ou projetos nessa area, o que ele tem a ganhar com essa insistencia e persistencia? E outra, se ele não acredita porque cria tantos perfis fakes e trolls, pedindo aqui e em outros sites, que enviem projetos, que ensinem... Por favor, em consideração a Humanidade, não compartilhem seus projetos aqui, é assunto muito serio, há um interesse astronomico por qualquer projeto que tenha sucesso... entao sugiro, compartilhem com toda segurança possivel seus feitos e com pessoas que realmente tenham projetos em andamento - não entreguem o ouro para os BANDIDOS - enquanto uns tem disprendimento, outros tem canalhices e interesses espúrios...reunam-se em segredo, quando conseguirem algo definitivo, ai sim, compartilhem... guardem em cofres as cópias, distribuam para amigos e parentes, assim, não terao possibilidade de serem chatageados ou mortos.....cautela e sabedoria nunca mataram ninguem... sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio, colega anônimo! Você disse, ai, muitas verdades que eu já aprendi em silêncio, aqui. Mas é muito bom se ouvir confirmações delas, principalmente: "cautela e sabedoria nunca mataram ninguém!" Obrigado e, sucesso para você, também!

      Excluir
    2. Concordo Anônimo. Contra fotos e vídeos ou seja, contra fatos, não ha argumentos.
      VAMOS continuar a todos os nossos projetos!
      Viu André Luis, estamos contigo e com a melhora do planeta.
      Não podemos deixar LIXOS para nossos filhos e netos. É isso que vamos deixar para eles se não tomarmos providências . . .

      Excluir
    3. esse cara João Pimentel Ferreira não esta no quadro da petrobras, deve ter mudado o nome, ja procurei.

      Excluir
  51. André Luis Lens,
    Parabens, li cada postagem aqui e incentivo que continue as pesquisas, vejo que alguns vem aqui esfregar as leis da conservação de energia e da termodinâmica, substimando a muitos, como que se alguem aqui almejasse criar energia do nada, e não vislumbro des taforma, realmente as leis da física são pétreas, porém na física teórica quântica, dois corpos podem ocupar o mesmo lugar no espaço - fora isto há sim possibilidades de se obter energia limpa através de campos eletromagnéticos, pois se imãs posicionados angularmente fazem um objeto se mover, só este simples fato demonstra a transformação de energia cinética em calor - haja visto que em nosso sistema existem duas forças a gravitacional e o atrito - então fica demonstrado que há possibilidades sim, vejo um imã equivalente a um reservatório de agua de uma represa, uma energia acumulada finita, porém aproveitável. Então alguns atacam indevidamente as pesquisas e os projetos, como se alguem quisesse reinventar a roda, ou criar um sistema auto sustentável e infinito e contínuo - sei que não é este objetivo - e sim transformar a energia acumulada em um imão e transformá-la em eletricidade, outrora usavam se relogios com pendulo de movimento, bastava o movimento do relógio para que o relógio funcionasse ad-eternum, retrocesso, trocaram por baterias poluentes e de dificil reciclagem.
    Acredito que toda ciencia e desenvolvimento não vem de elocubraçoes e sim de coisas simples, de insights, veja Newton, observando a queda de uma maça, e daew inferir que a Lua e todos os corpos caem, e assim decifrar a Lei Gravitacional - e Santos Dumont que tentou 14 vezes colocar um mais pesado que o ar, parecia impossível!
    Não desista, não foi voce o primeiro visionário e nem será o ultimo, veja o legado deixado por Tesla, se alguem se incomoda gratuitamente com quem realiza pesquisas nesse ramo, é porque não está tao convicto da impossibilidade de se obter energia limpa atraves do uso da energia eletromagnética de imãs permanentes - os cães ladram e a carruagem passa - ousar - tentar - não é vão....Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela sua compreensão e pelo seu incentivo, Marcio Augustus! Que Deus abençoe você e sua casa!

      Excluir
  52. “No meio da confusão, encontre a simplicidade. A partir da discórdia, encontre a harmonia. No meio da dificuldade reside a oportunidade.”
    “Lembre-se que as pessoas podem tirar tudo de você, menos o seu conhecimento.”
    “Cada dia sabemos mais e entendemos menos.”
    “O homem erudito é um descobridor de fatos que já existem; mas o homem sábio é um criador de valores que não existem e que ele faz existir.”
    “A mente que se abre a uma idéia, jamais voltará ao seu tamanho original”
    ALBERT EINSTEIN

    ResponderExcluir
  53. Interessantíssimo este vídeo do Dr. Michio Kaku - https://www.youtube.com/watch?v=HriCo05qeeg

    ResponderExcluir
  54. encontrei um site muito bom sobre o assunto:

    http://fundacion-eticotaku.org/2012/10/14/mae-magnetic-autonomous-engine-instrucciones-sencillas-para-realizar-un-motor-magnetico/

    disponibilizei também em meu site download do projeto sugerido pelo site acima para quem quiser baixar e testar:

    http://www.onixtecnologia.com.br/images/motor.pdf

    mais dois vídeos interessantes:

    https://www.youtube.com/watch?v=RkLfpXpO5sQ

    https://www.youtube.com/watch?v=HeYQzip0bd8#t=17

    quem primeiro fizer o projeto sugerido deste motor por favor poste aqui os comentários para ajudar toda a comunidade..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus parabens pelo troca de informações ja li e gostei muito, se eu conseguir fazer o projeto posto aqui para compartilhar, mas parece dar certo , com respeito a blindagem ja vi varias pessoas falarem a mesma coisa sim é necessario para que gire se não ele fica imovel o material que comentaram sobre blindagem é o mu-metal mas preciso mpesquisar mas sobre isso. valeu. vou continuar estudando, obrigado!

      Excluir
  55. esqueci de falar que parece que um dos segredos para que o motor funcione é a blindagem sugerida para os imãs tanto do rotor quanto para o estator (em posições opostas) - ver página 14 do arquivo em pdf.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um outro segredo importante, mas que não foi segredo para mim, como o protótipo funciona através de repulsão magnética por ímãs colocados no estator e no rotor, este princípio pode gerar um movimento autônomo, MAS NÃO com um número de polos diferente entre o estator e o rotor. Isso ocorre pois, com números de polos diferentes (30 x 24 no caso do protótipo MAE versão 1), o rotor é freado pela mesma intensidade de força que impulsiona, atuando ambas na direção oposta. Dai, precisou do MAE versão 2, que tem o mesmo numero de polos entre estator e rotor (24 x 24) para, finalmente, conseguir, simplesmente, rodar. Mas comece a colocar torque no eixo do motor magnético já girando, para um monte de outras novas questões interessantes aparecerem. Abraços!

      Excluir
  56. Olá André, faz 2 anos que venho pesquisando sobre motores magnéticos, mais sem me localizar muito no assunto, cada vez mais interessado sobre ele, sobre o tema "energia".
    Um dos motivos que me empenhou a entrar no IFSC foi o a vontade de desenvolve-lo, e fico muito feliz em saber quantas pessoas se preocupam e se empenham também, diante dos grandes benefícios que poderá trazer para o mundo.
    Cercado todavia de muitas pessoas que não acreditam, ou simplesmente não querem acreditar neste grande avanço, me deparo com um blog desses, com pessoas extremamente motivadas e interessadas em sua construção, gostaria muito de participar como um colega que tanto recebe quanto traz informação, pois uma das coisas que falta no mundo, é o trabalho coletivo para alcance dos objetivos !

    Que isso seja um bem para o MUNDO !

    "Nenhuma grande descoberta jamais foi feita sem um palpite ousado."
    Isaac Newton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Jackson, seja bem vindo unindo esforços para que construamos um mundo melhor.. dias atrás encontrei um site que disponibilizou um projeto com detalhes para quem quiser montar, postei o link em meu site, se você quiser montar e postar aqui o resultado seria muito bom.. O colaborador André Luiz (veja comentários logo acima) disse que é necessário para funcionar colocar a mesma quantidade de imãs no estator e no rotor, neste caso 24 em cada e não esquecer da blindagem nagnética.. link para o projeto: http://www.onixtecnologia.com.br/images/motor.pdf - forte abraço..

      Excluir
    2. Eu comsegui ligar meu video game e a tv só com o motor magnetico que criei. procimo passo sera a casa em teira

      Excluir
    3. Eu não duvido que tenha conseguido, Sr. Gk, pois, que a máquina puramente mágnética gira e oferece conjugado de motor, tal qual um motor elétrico, eu sou testemunha. Mas, o que acontece com a rotação da máquina magnética quando ocorre variação de conjugado resistente (torque da carga). Aqui, comigo, tem ocorrido de a rotação das máquina magnética variar também, todavia, não é uma variação linear, mas, sim, uma variação em escalões, e cuja magnitide está associada (de alguma maneira) ao número de polos da máquina magnética.Mas, o que é ainda pior, é com respeito a reprodutibilidade deste fenomeno de variação de velocidade em escala. Aqui, as contas nunca fecham. Alguém poderia dizer: dane-se esse detalhe: tudo bem, é óbvio que eu vou ter passar a energia gerada pelo gerador elétrico (alternador) que tenho acoplado ao eixo da máquina mágnética, para uma bateria, primeiro, para só depois convertê-la novamente para CA, adequadamente, para servir-me de alimentação. Mas, o problema que eu me deparo, aqui, é que, tão somente para colocar a energia do gerador para a bateria, eu preciso fazê-lo de tal modo controlado, que preciso de um sinal de sincronismo vindo da rotação atual do gerador, cuja rotação é dependente da velocidade da máquina magnética, e apresenta uma frequência que me é impossível de ser controlada. Se o senhor superou isso, meus sinceros parabéns! Só que eu, ainda não!

      Excluir
    4. Sr Andre luis. Conforme eu já havia postado antes a respeito, já tenho um dispositivo funcionando faz algum tempo e só consegui fazer funcionar o gerador magnético através de um mix de bobinas coletoras e bobinas acionadoras . Para a rotação ficar constante mesmo com carga eu montei um circuito para controlar a alimentação da bobina acionadora do eixo. Como ? Um transistor 3144 ( antes era um reed tubular mas não guentou muito tempo ) . A rotação é monitorada por um oscilador (CI555) e alimentada por um regulador (LM350T) . Assim o que ocorre é o aumento de potencia na bobina ao invés da perda de rotação quando existe demanda no circuito . é algo similar ao acelerador eletrônico dos geradores elétricos a combustão que faz o motor variar a rotação quando aumenta o consumo ligado a ele. Só que neste caso não faço um aumento de rotação e sim de torque pra manter a rotação estável.

      Excluir
    5. Sim, Orlando, eu me recordo bem do que você relatou, sim. Foi em 23 de Novembro do ano passado (quase um ano) e a sua postagem ainda pode (e poderá) ser vista aqui. Eu me limitei, na época, a comentar, tão somente, que o seu projeto mais se aproximava daquele que foi apresentado como Torian 3 (que aliás, foi para mim, o princípio do desafio, e que também requereu alguns eletroímãs autoalimentados estrategicamente agregados em sua estrutura, para funcionar ao contento). Todavia, eu devo te confessar que, do ano passado para cá, eu pouco pesquisei em cima da máquina magnética (muitíssimo menos se comparado com o ano imediatamente anterior). Posso dizer eu estou no mesmo ponto de 1 ano e 1/2 atrás, e isso tem sido uma questão de opção por força de necessidade, para me dedicar, também, a outros trabalhos. Não nego que possivelmente eu tenha errado, pois teve, também, a outra questão do “encasquetamento”: eu me liguei tão firmemente na ideia de “máquina puramente magnética”, que isso se tornou um propósito obsessivo tão forte, que eu simplesmente me sentia desestimulado sequer em pesar em agregar bobinas. O único jeito foi parar com isso, por um tempo, e vencer a minha própria mente bloqueada, com um tempo dedicado a outros empreendimentos, pois afinal, preciso sobreviver. Apesar de ser apenas uma noção da ideia, aquilo que tenho captado a respeito (mesmo eu também sendo da área de eletrônica, e até mesmo porque você está muitos anos de pesquisa a minha frente), eu acredito que, agora que eu estou menos “encasquetado”, eu posso tentar implementar a sua ideia, sim, assim que eu voltar a pôr a mão nisso e, por isso, eu te agradeço muito. Um forte abraço, colega! Que Deus abençoe você e sua casa.

      Excluir
    6. A propósito, Orlando, apenas para esclarecimento, se puder confirmar: O transistor 3144 a que o senhor se refere é o A3144, um Chaveador de Efeito Hall da Allegro MicroSystems? Ou seria outro, que eu desconheço? (se for 2N3144, eu não encontro datasheet)

      Excluir
    7. Ola André.
      Não precisa ser especificamente o A3144, pode ser qualquer outro sensor similar, acredito que o US1881 pode ser encontrado mais facilmente, tanto a peça como a documentação. O uso dele é apenas como contador de giro então só o que precisa atentar é a correção dos valores de entrada e saída para se adequar às tensões do seu circuito .

      Excluir
    8. Meus caro, esse orlando fisher e' apenas um troll (ou coisa pior).
      Alguem afirmar que "deseja fazer um motor puramente magnetico" e' fruto da ignorancia sobre Fisica. Totalmente desculpavel porque, afinal, todos nascemos ignorantes.
      Mas dizer que "fez e funciona" e' mentira deslavada.
      Ou e' gozacao, ou e' golpe.

      Excluir
    9. Ola Sr Jefferson.
      De fato eu não consegui fazer um motor 'puramente magnético' apesar de ter sido este o meu projeto original fracassado.
      Em meu post inicial deste blog afirmei só ter conseguido que funcionasse um híbrido eletromagnético onde parte da energia captada pelas bobinas era reaproveitada em um solenóide para sincronizar o giro e deslocar o pontos da inércia magnética.
      Não fiz o projeto com interesse comercial, foi apenas por hobby e relatei o êxito apenas para incentivar outros interessados na idéia.

      Não vejo onde eu possa ter incomodado vossa pessoa para merecer insultos e difamações.

      Abs

      Excluir
  57. Prezado "gk" que conseguiu alimentar o vídeo-game e a TV com seu motor magnético, poste o projeto aqui para nos ajudar..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo contigo este forum é pra divulgarmos o que aprendemos, peço tambem por gentileza postar o projeto para compartilharmos entre pessoas que valorizam seu feito. obrigado!

      Excluir
  58. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  59. Caro André Luis Lenz,

    Vi vários comentários e fiquei na dúvida. É possível apenas movimentar uma ventoinha de computador, por exemplo, com imãs de Neodimio ? Esqueçamos a questão da partida inicial e o controle de velocidade, mas apenas girar é possível ?

    Abraço

    ResponderExcluir
  60. Muammer Yildiz Magnet Motor PROTOTYPES 2014

    https://www.youtube.com/results?search_query=maumer+magnet

    Está ai o projeto, o que vcs acham?

    ResponderExcluir
  61. Alguém com protótipo pronto ou desenvolvendo em BH?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LUCIANO LIMA OLA EU LA ATRAZ NO BLOG JA REFERI QUE TINHA UM PROTOTIPO DE ENERGIA QUANTICA PRONTO A PRODUZIR ENERGIA ILIMITADA MAS NINGUEM ME OUVE ESTAO TODOS A PROCURA DO MOTOR PERPETUO MAS ESTAO COMPLICANDO MUITO E O MAL DOS HOMEMS A SOLUÇAO ESTA NA TRANSFORMAÇAO DA ENERGIA QUANTICA EM ENERGIA ELECTRICA O HOMEM JA DESCOBRIO ESSAS DUAS ENERGIAS AGORA E ADICIONALAS ISTO E UMA DICA NAO POSSO DIZER MAIS SE QUEREM POR ESSA SABEDORIA EM PRATICA CONTACTAR JOSE PEREIRA NO E MAIL josereis247@gmail.com OBRIGADO ESPERO RESPOSTA DE QUEM QUIZER SER MEU SOCIO VAMOS PRODUZIR MEGAKWH

      Excluir
    2. O tal Jose' Reis (aqui de cima) está apenas procurando vitimas para o seu golpe.
      Nao caiam nessa.
      Motores puramente magneticos pertencem ao mundo da fantasia.

      Excluir
  62. Respondendo a Marcelo Bhering:
    Não é possível meu caro. Se alguém afirmar o contrário de duas uma: falta de conhecimento ou desonestidade.

    ResponderExcluir
  63. Observe o universo como ele é dinâmico, os princípios envolvidos nestas idéias são de cientistas contra Deus, sabemos que tem que existir um princípio mesmo que seja ínfimo, mas precisa, a nossa galáxia é um grande moto "quase" contínuo. Porque "quase"? Sem a dinâmica de um princípio, nenhum dos que debatem estariam aqui, nem respirando, porque a Terra com o seu magnetismo que prende a Lua, nos dá as estações para que tenhamos energia de sobra para armazenarmos em nós mesmos para períodos escassos. Portanto é bastante interessante a ideia de alguns insistentes em reduzir a perca de energia num sistema que cause indignação àqueles que não querem descer do seu pedestal de conhecimento, e arregaçar as mangas das suas camisas, para que possamos deixar para a nossa descendência não um legado de destruição, que precisamos destruir tudo por mais energia.

    ResponderExcluir
  64. acredito que logo vão descobrir uma forma de faze-lo dai vão dizer: "ó, que coisa não? era tão simples..." mas passaram anos e anos estudando e alguns argumentando que é impossível, a briga dos que dizem ser possível, mas de fato a mídia nos impede do conhecimento devido aos donos do mundo (governo e grandes empresas do Brasil) que não tem interesse nenhum em expandir esta notícia... Já passou a época em que diziam tirar energia do vento não era possível, já passou também o tempo em que diziam que tirar energia do sol era impossível que não havia nenhuma forma de fazê-lo, sempre digo que muitos criam e outros criticam... essa e a base da vida, e você é o que cria ou o que critica? sei que vão conseguir... apenas continuem tentando e logo dará certo!

    ResponderExcluir
  65. Olá galera! Sou muito fã desse projeto, gostaria de saber se a blindagem do imã pode ser feita com chumbo ou outros materiais alternativos?

    ResponderExcluir
  66. Olá galera! Sou muito fã desse projeto, gostaria de saber se a blindagem do imã pode ser feita com chumbo ou outros materiais alternativos?

    ResponderExcluir
  67. https://www.youtube.com/watch?v=mHW6b1aFPfU#t=209

    O pessoal do vídeo patenteou um motor magnético com muita velocidade e torque.
    Acho que tudo é uma questão de pesquisa e investimento $$$.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja também este outro vídeo (bem mais recente, de 2013) da pesquisa de Muammer Yildiz, quando ele foi convidado a expor no Inventors Expo April 10-12, 2013, Geneva, Switzerland. Notem que, neste caso, a função da máquina é ventilador, que é caracterizada por conjugado constante (pois movimenta continuamente um fluxo de massa de ar constante). https://www.youtube.com/watch?v=CDpKqdcDDrQ

      Excluir
    2. De fato, o pedido de patente dele existe. Documentos podem ser baixados no linque: https://docs.google.com/file/d/0B2GRHIhjQGBlRDNFUGRWdFpwZlE/edit

      Excluir
    3. Vejam, também, este blog: http://www.pureenergyblog.com/2013/02/26/208/8502227_turkish-patent-institute-invites-yildiz-to-geneva-inventions-conference/

      Excluir
  68. Fui até o site da TU Delft University http://www.tudelft.nl/index.php?id=tu_home
    e pesquisei sobre Muammer Yildiz, não encontrei nada, pesquisando apenas pelo nome Muammer
    encontrei Muammer Ozbek que trabalha no seguinte projeto "Remote monitoring of dynamics of wind turbines.", nada tem a ver com o projeto ora citado.
    O nome Muammer Yildiz retorna muitos resultados no Google, porém, nenhum deles eu encontrei que fosse ligado a alguma universidade ou reconhecido centro de pesquisa.

    Não quero parecer mais um cético da turma, já adquiri uma série de imãs de neodímeo e estou conduzindo minhas experiências em casa, porém, até o momento não consegui nada.
    Neste vídeo, por volta dos 44 segundos, aparece uma solução muito interessante e simples, será a minha próxima construção: https://www.youtube.com/watch?v=2D9FcjTNaEk
    Os barcos à vela usam a força do vento e conseguem navegar mesmo no sentido contrário ao sentido do vento, ainda que em zig-zag, isso me faz acreditar que, tendo uma fonte de força constante, é possível usá-la a nosso favor para realizar algum trabalho. Também acredito em soluções que usem a força da gravidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Sidney. Espero que o colega entenda que quando eu faço referência às postagens e arquivos disponibilizados de algum personagem qualquer dessa nossa polêmica história (como é o caso do "alegadamente professor turco" Muammer Yildiz), isso não significa que eu esteja corroborando (e nem negando) com as informações contidas nestes meios.

      Nestes casos, eu estou apenas mostrando as referências para que, cada um as sigam possam ter a oportunidade de ver, analisar, fazer os seus próprios julgamentos e tirar suas próprias conclusões (como você bem o fez).

      Apenas para confirmar, eu acabei de tester a atualidade dos linques que eu passei anteriormente, acima (o vídeo (cujo ambiente de gravação, A MIM MESMO, não me parece uma "armação" mas de fato, se parece com a tal feira de Genebra Inventors Expo April 2012, a qual eu não estive presente, eu começei a trabalhar com neodímio somente a jartir de Junho/2012), a pasta com alguns documentos, que ainda requer de minha parte olhar melhor para o meu próprio julgamento) e a postagem do blog do Pure Energy Blog by PESN Network, o qual, deve dar crédito, quem quiser dar crédito).

      Assim como você, eu continuo também, dentro das minhas parcas disponibilidades de tempo e de recursos materias, pesquisando, e acreditando em algo (e fugindo da muita polêmica que não me orienta e nem ajuda em nada).

      Muito provavelmente, também deverá demorar muito tempo para que eu volte a partilhar alguma novidade (se é que, de fato, algum dia eu o farei).

      Perquisas com magnetismo são, para mim, uma paixão pessoal, e é só! Muito boa sorte e benção de Deus ao colega!

      Excluir
  69. Senhores, contam os estudiosos que o incêndio da Biblioteca de Alexandria, no Egito, não me recordo em que época, mas há vários séculos, foi a causa do atraso em cerca de mil anos no progresso da humanidade. Também no Egito um certo Hierão de Alexandria inventou uma máquina a vapor. Vejam que isso ocorrera há cerca de oito séculos antes do início da Revolução Industrial - INICIADA COM MÁQUINAS A VAPOR- na Inglaterra! Observando a história, concluo que Hierão (ou seja lá qual for seu nome certo) não inventou apenas uma simples máquina a vapor. Inventou no mesmo momento, o motor a jato. Seu motor consistia de uma vasilha equipada com dois tubos opostos tais que quando o vapor enchia a tal vasilha o vapor saía pelos tubos e fazia o conjunto girar pelo princípio da ação e reação (o mesmo dos moderníssimos aviões a jato). Querem saber que fim teve esse brilhante inventor? FOI MORTO! Sentenciado por incitar à preguiça. O ciúme do lucro, do poder, da prevalência de dogmas religiosos, etc. arranja várias desculpas para aniquilar quem lhes ameaça. Moro numa cidade que está à beira do colapso rodoviário com quantidade absurda de carros em circulação. Cerca de 1,8 carro por pessoa! Se fosse adotado o transporte ferroviário em larga escala, haveria menos carros em circulação, menos gasolina consumida, menos impostos sobre combustíveis, menos multas de trânsito, menos poluição, etc. Isso interessa àqueles que estão lucrando com o problema? Claro que não!
    Tudo isso que eu disse foi para exemplificar acerca do porque alguns grandes sabichões utilizam seus ridículos curriculozinhos como argumento na tentativa de inibir iniciativas tão maravilhosas como essa da busca da energia limpa, barata e acessível a todos. A teoria do motor magnético vai prosperar mas somente vai ser aceita pelos donos do poder quando, talvez, for excessivamente tarde. Um certo "Mané minha égua" disse que a natureza não dá nada grátis. Não? Esqueceu do Sol? Dos Ventos, dos ímãs, da Força escondida no átomo, da gravidade? Heim Mané?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito mais do que um simples comentário. Mais do que uma explanação. Um verdadeiro discurso, completo, eloquente e convincente, colega Anônimo. Parabéns e, obrigado pelo seu apoio na parte que nos toca.

      Excluir
  70. Respostas
    1. Nossa, cara ... que legal ... você consegue colocar linques em comentários aqui do blogspot ... muito bom, isso! Muito legal ... fantástico. Só isso, apenas essa vantagem, já faz valer, sim, fazer uma parceria com o Google. Quem me dera. Parabéns e, bem vindo ao nosso blog. A casa é sua!... Quanto ao seu produto, as Telas Mosquiteiras, nesses tempos de Aedes aegypti comendo solto, tanto os originais, do mal, que causam doença grave, quanto os outros, os agora modificados, do bem, para combater o mal, mas que, também, no mínimo, perturbam o sono (basta lembrar de "a mosca que caiu na sua sopa"), TELAS MOSQUITEIRAS é algo que se torna muito, muito importante, quase essencial. Aqui em casa colocamos duas, recentemente, mas por causa de ratos, uma verdadeira infestação de ratos na rua, que era só escurecer para eles quererem nos invadir a casa. Agora, com as Telas, é só sossego. Sucesso para vocês.

      Excluir
  71. Acho interessante tentativas de encontrar alternativas energéticas para a humanidade, porém, moto contínuos não existem. Todos os vários "inventores" de máquinas assim, ao longo da história, foram desmascarados, e não boicotados. Como engenheiro mecânico que estudou e pesquisou anos essa área digo a vcs: quem acredita/defende moto contínuos ou é inocente ou mal intencionado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante a matéria exposta por nosso amigo André Luiz Lenz.
      Estou vendo inúmeros vídeos expostos na internet, por ai estou chegando
      a seguinte conclusão:
      1) Moto continuo não existe, uma vez que de alguma forma teremos escoamento
      algum dia da forma da energia que a produz.Seja de um magnetismo ou energia
      do sol uma hora ela se dissipará transformando se em outros tipos de energia.
      2)Energia livre, pode existir a partir do momento que possamos domina-la assim
      como a eletricidade em que colocamos dispositivos para alterar seu fluxo, direcionar
      assim como fazem as chaves e transistores.Observem que no caso da eletricidade o
      domínio é tal que fazemos amplificação de sinais,medição,conversão etc.Tudo com uso
      de condutores semicondutores e isolantes.
      3)No caso da energia magnética, sabemos que é provocada quando o material tem suas
      propriedades quando o material tem seus spins direcionados, seja por energia natural ou
      provocadas pelo homem, porém não temos conhecimento para chaveá-la diretamente sem
      o uso da eletricidade, acredito ser este um dos maiores problemas.
      Temos conhecimento recente dos spins porém não sabemos como eles agem uns com os
      outros até mesmo em grandes distancias sem um meio físico, que não conseguimos
      enxergar nem no vácuo. sendo que algo semelhante acontece também com a gravidade.
      3) Sendo estas ( Gravidade e magnetismo ) duas formas de energia que estão presentes,
      e já foram descobertas, temos a obrigação como seres humanos de um dia aprender a
      domina-las, seja este domínio partindo do ponto de inicio de um simples laboratório ou
      de estruturas avançadas.Tudo pode ser dominado no universo deste que se tenha
      as ferramentas certas de acordo com o conhecimento do domínio.
      Conclusão: Apoio totalmente as tentativas de tirar proveito destes tipos de energia, e
      acredito que um dia possa ser possível desde que sejam monitoradas por
      instrumentação adequada para que possam chegar a um coeficiente aceitável.
      Pois até mesmo na mecânica quântica existe o conceito de probabilidade que nada
      mais é do que matemática pura.
      OBS: Deixo claro que energia livre nada mais é do que o conceito de um domínio de
      um tipo de energia sem interferência governamental.

      Excluir
  72. Muito interessante a matéria exposta por nosso amigo André Luiz Lenz.
    Estou vendo inúmeros vídeos expostos na internet, por ai estou chegando
    a seguinte conclusão:
    1) Moto continuo não existe, uma vez que de alguma forma teremos escoamento
    algum dia da forma da energia que a produz.Seja de um magnetismo ou energia
    do sol uma hora ela se dissipará transformando se em outros tipos de energia.
    2)Energia livre, pode existir a partir do momento que possamos domina-la assim
    como a eletricidade em que colocamos dispositivos para alterar seu fluxo, direcionar
    assim como fazem as chaves e transistores.Observem que no caso da eletricidade o
    domínio é tal que fazemos amplificação de sinais,medição,conversão etc.Tudo com uso
    de condutores semicondutores e isolantes.
    3)No caso da energia magnética, sabemos que é provocada quando o material tem suas
    propriedades quando o material tem seus spins direcionados, seja por energia natural ou
    provocadas pelo homem, porém não temos conhecimento para chaveá-la diretamente sem
    o uso da eletricidade, acredito ser este um dos maiores problemas.
    Temos conhecimento recente dos spins porém não sabemos como eles agem uns com os
    outros até mesmo em grandes distancias sem um meio físico, que não conseguimos
    enxergar nem no vácuo. sendo que algo semelhante acontece também com a gravidade.
    3) Sendo estas ( Gravidade e magnetismo ) duas formas de energia que estão presentes,
    e já foram descobertas, temos a obrigação como seres humanos de um dia aprender a
    domina-las, seja este domínio partindo do ponto de inicio de um simples laboratório ou
    de estruturas avançadas.Tudo pode ser dominado no universo deste que se tenha
    as ferramentas certas de acordo com o conhecimento do domínio.
    Conclusão: Apoio totalmente as tentativas de tirar proveito destes tipos de energia, e
    acredito que um dia possa ser possível desde que sejam monitoradas por
    instrumentação adequada para que possam chegar a um coeficiente aceitável.
    Pois até mesmo na mecânica quântica existe o conceito de probabilidade que nada
    mais é do que matemática pura.
    OBS: Deixo claro que energia livre nada mais é do que o conceito de um domínio de
    um tipo de energia sem interferência governamental.

    ResponderExcluir
  73. Foi calculada a variação da entropia nos processos descritos?

    ResponderExcluir

Licença Creative Commons
Este trabalho de André Luis Lenz, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.